Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Redução Salarial

Perspectivas para a greve dos servidores da UnB

Perda de salários de servidores é ataque à educação!

No dia 02 deste mês, por meio de assembleia, a categoria representada pelo Sindicato dos Técnicos da Universidade de Brasília (Sintfub), declarou greve após redução salaria imposta aos servidores técnicos em educação superior por Gilmar Mendes. Com uma canetada, o ministro retirou mais de 25% do salário dos trabalhadores TAEs

Vale ressaltar que a administração da UnB, no dia 24 de maio de 2023, sabia do ofício encaminhado pelo STF e, além de não comunicar nada aos servidores, fez com que o processo tramitasse com urgência ímpar na UnB para atender às demandas impostas pelo Supremo.

O comando de greve irá debater, nessas próximas semanas, o rumo da mobilização na UnB e, como tem sido discutido entre os pares, tudo que não for essencial deverá ser parado. Mas o que de fato é essencial dentro do campus universitário? É um debate que gera polêmica.

O que tem que ser dito é que educação não é um serviço essencial. Há forças da direita no Congresso e o próprio STF tentando enquadra a educação como serviço essencial, ação tal entendida como grave ameaça ao direito de greve dos servidores e que ainda não foi votada. Isso seria feito por meio do PL 5594, que insere a educação como serviço essencial, criada pelo partido Novo e de relatoria do partido Republicanos.

Esse PL visa atacar a educação e impedir o direito de greve das instituições. Diante disso, o que tem sido discutido na UnB e que será reforçado nas orientações do comando de greve é que o que deverá ser mantido na universidade serão os serviços de segurança, hospitais, animais e plantas. Ou seja, apenas laboratórios que contenham animais e plantas deverão seguir a cartilha da lei de greve que impõe aos trabalhadores um passivo de 30% dos servidores em escala dentro da universidade.

A assembleia que decretou a greve dos servidores da UnB foi marcada pela decisão de ampla maioria de que a categoria só irá discutir qualquer negociação estando em greve, e greve intensa. Essa decisão acertada mostra o caráter de classe da categoria que entende que somente a negociação com a única moeda de troca dos tralhadores, que é parando o “meio de produção”, serve de parâmetro de peso nas negociações com os patrões, no caso, o Estado Burguês.

O roubo de 26,05% dos salários dos servidores deve ser encarado como um grave ataque. Nenhum direito a menos, nenhum ataque aos trabalhadores, pois somente os trabalhadores unidos diante das agressões contra a classe trabalhadora irão contrabalancear o peso das forças que tentam massacrar e escravizar o povo.

A greve deve ser intensa e em todos os setores para mostrar ao STF e ao ministro Gilmar Mendes o peso de suas ações e o quanto os servidores técnicos são importantes dentro da universidade.

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.