Braskem

O que está acontecendo em Maceió

Descaso com a população de Alagoas

Afundamento em Maceió

A cidade de Maceió, capital de Alagoas, decretou estado de emergência esta semana devido ao risco iminente de colapso de uma mina da petroquímica Braskem. A situação, que já havia sido denunciada pelos civis, entrou em crise com os tremores da última quarta-feira, 29, chamando a atenção das autoridades locais. 

A Defesa Civil do município afirmou que esse colapso pode ocorrer a qualquer momento. Embora os danos não sejam tão graves, as 23 famílias que vivem ao redor, por decisão da Justiça, tiveram que ser evacuadas. A mina 18 fica localizada a mil metros de profundidade, abaixo do bairro Mutange, próximo ao antigo Centro de treinamento do CSA e perto também Mundaú. A mina 18 é uma das 35 cavidades abertas pela Braskem para a exploração e extração de sal-gema, um cloreto de sódio utilizado para produzir soda cáustica e policloreto de vinila (PVC).

Em entrevista à CNN, o coronel Moisés Melo, coordenador da Defesa Civil de Alagoas, garantiu que os riscos são baixos e tranquilizou sobre a questão:

“Não vai ser uma cratera no meio da cidade, não vai gerar terremoto, tsunami, nada disso. Essa cratera será na sua maioria submersa, preenchida de imediato pela água de Lagoa” – afirmou o coronel

A Braskem, declarou em nota que a empresa:

“Continua mobilizada e monitorando a situação da mina 18, localizada no bairro do Mutange, tomando todas as medidas cabíveis para a minimização do impacto de possíveis ocorrências”. E afirma que, “todos os dados colhidos estão sendo compartilhados em tempo real com as autoridades, com quem a Braskem vem trabalhando em estreita colaboração”.

Os problemas não são de hoje, desde 2018, há tremores e rachaduras em casas e ruas, além do afundamento de alguns bairros, como: Pinheiros, Mutange, Bebedouro, Bom Parto e Farol, em parte. Os problemas que se iniciaram no dia 3 de março de 2018 causaram o êxodo de 55 mil pessoas. Segundo os especialistas, os riscos de um possível colapso são alertados desde 1976, desde que a extração de sal-gema iniciou. O Braskem é uma empresa privada, cuja corporação Novonorm é dona de 50,1% das ações, o que lhe garante o controle da petroquímica, e de 38,3% do capital total. O desprezo pela situação em Alagoas ilustra a ineficiência e o caráter nefasto dos capitalistas para com o trabalhador e a população pobre no geral.

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.