Faixa de Gaza

Líder do Hamas: arruinamos os planos da ocupação israelense

Ismail Haniyeh enfatizou que o Hamas “não abandonará suas posições e não abandonará suas responsabilidades para com nosso povo antes, durante ou após a batalha”

O líder do Movimento Resistência Islâmica (Hamas, na sigla em árabe), Ismail Haniyeh, afirmou que a resistência palestina conseguiu frear a invasão israelense na Faixa de Gaza, que não conseguiu avançar para o sul da região diante da luta armada. Ele apontou que o Hamas arruinou os planos da ocupação, segundo o Middle East Monitor.

“[A resistência palestina] enfrentar a ocupação e arruinar seus planos, apesar da grande dor e do crescente número de mártires, feridos e palestinos forçados a deixar suas casas, o que nos entristeceu e afetou todas as nossas famílias. Este é o preço da liberdade e da libertação”.

Haniyeh, em coletiva de imprensa na sexta-feira (24), destacou que “o inimigo [Israel] contava com o retorno dos reféns usando suas armas, assassinato, genocídio e todas as formas de terrorismo sem precedentes na história, e declarou que não aceitaria um cessar-fogo”. Por isso, Haniyeh, aponta que o Estado sionista “recusou-se a implementar a resolução do Conselho de Segurança que foi emitida recentemente, a qual estipulava tréguas humanitárias”. 

Assim, Haniyeh destacou a importância da resistência palestina para alcançar a trégua. “Após quase 50 dias de seus crimes e brutalidade, enfrentando a firmeza de nosso povo e a resistência que o confrontou em todos os fronts da luta com firmeza e coragem, foi forçado a aceitar as condições da resistência e a vontade de nosso povo orgulhoso. Isso levou à celebração de um acordo de cessar-fogo e troca parcial de prisioneiros, que entrou em vigor às 7 da manhã de sexta-feira e continuará por quatro dias”, destacou, ressaltando a vitória da luta armada.

Sobre a trégua, Haniyeh afirmou que, “com o patrocínio de nossos irmãos no Catar e Egito, participamos de negociações difíceis e laboriosas nas últimas semanas, gerenciando-as com senso de responsabilidade e um equilíbrio cuidadoso que combinava a preocupação em aliviar o sofrimento de nosso povo e interromper a máquina de assassinatos brutais e massacres, não permitindo que o inimigo impusesse sua agenda ou evitasse os termos deste cessar-fogo, mas sim impondo nossa visão e prioridades.”

Haniyeh enfatizou a aderência da resistência ao acordo e seu sucesso desde que o Israel o respeite, saudando também a continuação de esforços promissores e esforços contínuos para encerrar a agressão sionista contra os palestinos. Ele defendeu também o fim do cerco a Gaza, a troca de prisioneiros e a interrupção do ataque à Mesquita de Al-Aqsa. O líder do Hamas defendeu a capacitação dos palestinos para exercer todos os seus legítimos direitos nacionais para estabelecer seu Estado palestino independente, com Jerusalém como sua capital, e o direito à autodeterminação.

Ele também apontou “a necessidade de continuar os esforços árabes e islâmicos e os dos países amigos, especialmente Rússia e China, para permitir que nosso povo alcance suas aspirações de liberdade, retorno e independência, e para garantir que a ocupação não escape das consequências desta batalha.”

Haniyeh enfatizou que o Hamas “não abandonará suas posições e não abandonará suas responsabilidades para com nosso povo antes, durante ou após a batalha”. Ele ainda elogiou a posição árabe e islâmica em relação à rejeição de qualquer interferência no destino da Faixa de Gaza após o fim da agressão, observando que o movimento rejeita o deslocamento, especialmente para os países vizinhos Egito e Jordânia. 

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.