Entendendo a Palestina

COTV estreia série sobre a questão Israel-Palestina

Primeiro episódio explica por que o Estado sionista é uma farsa

No dia 15 de novembro, a Causa Operária TV (COTV) publicou o primeiro vídeo da recém-criada série “Entendendo a No dia 15 de novembro, a Causa Operária TV (COTV) publicou o primeiro vídeo da recém-criada série “Entendendo a Palestina”. O programa-piloto traz como título “10 pontos para entender a farsa de Israel” e é apresentado por João Jorge Caproni Costa Pimenta, membro da Direção Nacional do Partido da Causa Operária (PCO) e vítima de duas queixas-crimes protocoladas por 27 deputados e figuras públicas bolsonaristas, entre elas o ex-deputado e ex-promotor lavajatista Deltan Dallagnol. Pimenta está sendo perseguido por declarar apoio ao Hamas e aos grupos armados palestinos em falas durante manifestações de solidariedade ao povo árabe.

“Hoje vamos explicar porque Israel é um país artificial”, promete João Caproni Pimenta logo no início do vídeo. Em pouco mais de três minutos, o jovem dirigente apresenta os seguintes argumenteos contra o Estado de Israel:

  1. A Palestina é um território árabe desde o ano 636 depois de cristo. O Império Árabe conquistou o território do Império Bizantino na Batalha de Jarmuque. Os árabes assimilaram a população local, que era cristã. 
  2. Em 1516 veio o Império Otomano, da etnia turca, que manteve o Islã como religião oficial. Mas as províncias árabes continuaram povoadas pelos árabes, como na Palestina, no Egito e na Síria.
  3. Em fins do século XIX, a Palestina participou do movimento nacionalista árabe contra a dominação otomana. Na 1ª Guerra Mundial, em 1916, os palestinos participaram do grande levante árabe contra os otomanos. Quando o império Otomano cai, no fim da 1ª guerra, os ingleses ocupam o território.
  4. Antes mesmo de dominar militarmente a Palestina, em 1917 ingleses já  haviam prometido transformar a palestina em Estado judeu, apesar dos judeus serem uma ínifima minoria na região. Isso está comprovado numa carta chamada “Declaração de Balfour”. Já fazia mais de 2 mil anos que o território era ocupado por outra etnia, mas eles não ligaram para isso. 
  5. Os ingleses facilitaram a imigração de judeus europeus para a Palestina. Os sionistas, setores judeus que queriam tomar a Palestina, criaram a Agência Judaica na Palestina, um governo paralelo, com milícias armadas e instituições próprias, e os palestinos árabes foram perdendo controle de seu próprio país. A maioria dos judeus que se mudaram nunca tiveram antepassados na Palestina, suas origens eram 100% europeias. 
  6. Entre 1936 e 1939, com greves e conflitos nas ruas, uma enorme insurreição popular dos palestinos contra a expansão do sionismo foi respondida com violência pelos britânico, que reprimiu os árabes e desmontou suas organizações de luta, exilando e matando suas lideranças.
  7. De 1947 a 1948, quando é fundado o Estado de Israel, as milícias sionistas iniciam um massacre contra palestinos. Os milicianos usam de pretexto a partição do território Palestino aprovada na ONU, contra o voto de todos os países da região. Quem morava lá, era contra criar Israel.
  8. Os massacres faziam parte do Plano Dalet, elaborado pelo futuro primeiro-ministro israelense Ben Gurion, que almejava expulsar todos os palestinos da região para impor um Estado exclusivamente judeu em toda a Palestina.
  9. Através do massacre de uma população indefesa e desarmada, o roubo sionista das terras palestinas ficou conhecido com al-Nakba (a catástrofe, em árabe). Resultou na morte de milhares de palestinos, na destruição e saque de mais de 500 aldeias e na expulsão massiva dos palestinos das cidades, acarretando no êxodo de 800 mil pessoas, mais de 60% da população do país.
  10. Em 1937 foi proposta uma fronteira, onde Israel teria 25% do território palestino, em 1947 isso aumentou para 56%, em 1967 Israel já ocupava 78%, hoje eles ocupam 90%. É o maior roubo de terras da história moderna.
  11. Desde então, o povo palestino tem sido esmagado e expulso de seu país, se tornando a maior população refugiada do mundo. Mais de 5 milhões de palestinos vivem fora de sua terra natal, em países como Síria, Líbano e Jordânia.
  12. O imperialismo europeu e norte-americano ajudou a construir Israel para ter uma base de operações no Oriente Médio, a região mais rica de petróleo do mundo. Tirando casas de quem lá morava e trazendo colonos europeus que simplesmente não tinham história na região.

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.