Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Nacionalismo de araque

Votação pró-EUA na ONU mostra farsa de nacionalismo de Bolsonaro

Brasil foi o único país dos BRICS a condenar a "anexação" russa de quatro regiões ucranianas


No início deste mês, a Organização das Nações Unidas reuniu-se para votar se condenava ou não a “anexação” russa de províncias separatistas da Ucrânia. Um par de aspas não é suficiente para destacar o cinismo dessa categorização. Duas das quatro regiões que optaram por integrar-se à Federação russa através de referendo foram Lugansk e Donetsk, que há quase uma década lutam por sua independência contra verdadeiros batalhões nazistas. Aliás, não é nem a primeira vez que a população das duas repúblicas populares que se formaram nessa região pedem para integrar-se à Rússia. 

Assim como não é a primeira vez que a ONU reúne-se para condenar “anexações” russas. Em 2014, a população da Crimeia também optou por integrar-se à Rússia, como alternativa ao golpe de Estado que estava em curso na Ucrânia. Em sinal de fraqueza diante da pressão imperialista, a Rússia de Vladimir Putin optou por não incorporar Lugansk e Donetsk para evitar ainda mais atrito geopolítico. Os mais de 15 mil civis mortos nas duas regiões de maioria russa da Ucrânia ao longo dos últimos oito anos atestam que a decisão dos habitantes da Crimeia foi sábia.

De qualquer forma, a posição cínica da ONU não é surpreendente. A organização existe para que o imperialismo faça uma lavagem moral de seus crimes. A “comunidade internacional” sempre acompanha a posição imperialista. O resultado final foi: 143 países à favor da condenação, 5 contra e 33 se abstiveram. Ignora-se que entre os 143 está o principado de Mônaco e que entre os 33 estão China e Índia, com mais de 2 bilhões de habitantes.

O eleitor atento já percebeu aonde quero chegar. A maior parte da população mundial está entre os 38 países que se abstiveram ou votaram contra a condenação russa.

Desse episódio, o que mais me atinge – e o que explica o título de nossa coluna – é que o Brasil tenha feito o papelão de alinhar-se com o bloco imperialista. Dos BRICS, nosso país foi o único a votar em favor da condenação da Rússia – que integra o bloco comercial. África do Sul, China e Índia abstiveram-se e a Rússia, naturalmente, posicionou-se contra.

O nacionalismo de Jair Bolsonaro é uma farsa, e isso pode ser observado por seus diversos ataques à soberania nacional: a entrega da base de Alcântara, a privatização da Eletrobrás e de nossos aeroportos. Isso sem falar na concordância bovina no caso das anexações russas. Lula se diferencia bastante de Bolsonaro nesse aspecto, ainda que tenha tido pautas como a do meio ambiente traficadas para dentro do seu programa por elementos como PSOL ou Marina Silva. Durante a campanha, Lula deu diversas declarações de apoio a Cuba e Nicarágua, e demonstrou interesse em desenvolver boa relação com países cujos governos muitas vezes se opõem ao imperialismo.

A crise do capitalismo e da dominação imperialista é visível. O desespero dos norte-americanos comandados por um presidente à beira da demência só não é maior que o desespero europeu diante de um inverno sem abastecimento garantido de gás russo. A Rússia reagiu à pressão e avança contra a OTAN e os interesses imperialistas na região. A tendência é que uma situação similar desenvolva-se com a China no que diz respeito a Taiwan. O Brasil de Bolsonaro posiciona-se do lado errado do confronto e da História, associa-se com uma força decadente.

Enquanto o Brasil estiver sob o jugo do golpe, da dominação imperialista, não seremos livres e não conseguiremos nos desenvolver. Sem desenvolvimento não conseguiremos atender as necessidades do povo brasileiro, que não são poucas diante do cenário de desindustrialização que enfrentamos. A vitória de Lula representa um passo possível para que os trabalhadores possam lutar para a reversão dessa política de capacho.


COTV

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.