Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Trabalhador sofre com inflação

Inflação na Zona do Euro aumenta 10% em novembro

Estimativa da Eurostat afirma que taxa, apesar de menor do que outubro, é a maior desse mês


A Europa vem passando por grandes dificuldades, inicialmente, pela crise do capitalismo que, atualmente, é agravada pela situação na Ucrânia. A inflação na Zona do Euro atingiu níveis altíssimos neste ano, afetando, sobretudo, a área energética.

Em novembro, a inflação geral foi de 10% se falarmos dos países que possuem o Euro como sua moeda oficial. O dado realmente problemático se dá quando analisamos os 34,9% de inflação que a energia elétrica atingiu. É uma informação relevante, entretanto, que em outubro havia atingido 41,5%.

Mesmo com a baixa de outubro para novembro da inflação, onde os alimentos que estavam com 15,5% abaixaram para 13,8%, trata-se de um dos meses de novembro com a maior inflação da história dos países europeus.

A crise enfrentada pelo capitalismo é grande, como vemos nas greves e manifestações que surgem cada vez mais nas potências europeias. No Reino Unido, por exemplo, a maior greve dos ferroviários dos últimos trinta anos está eclodindo e dois primeiros-ministros chegaram a cair, não aguentando a pressão sob seus ombros.

Na Itália, o ex-líder Mario Draghi caiu, dando espaço para a ala da extrema-direita representada por Giorgia Meloni. A crise imperialista pode ser vista também no Oriente Médio, onde o Afeganistão retomou seu território da ocupação norte-americana – que tomou 20 anos de sua autonomia.

A atual situação, porém, foi reforçada com as sanções que os países imperialistas aplicaram na Rússia pela operação militar na Ucrânia. As taxas subiram sobretudo na área energética devido à falta do gás russo. Uma tentativa de sabotagem imperialista para prejudicar os russos, mas que acabou saindo pela culatra.

A vida da classe trabalhadora de toda a Europa está deteriorada por conta da inflação, que, em seu menor nível, presente nos serviços, atinge quase 6%. A defesa dos operários europeus passa necessariamente pela luta contra as sanções criminosas dos Estados Unidos e da Europa, que prejudicam, sobretudo, os próprios trabalhadores europeus, fazendo com que a comida do seu prato e a energia de sua casa fiquem cada vez mais caros.

É válido destacar também que as sanções que prejudicam tanto a vida dos trabalhadores aparecem em um momento de aumento de gastos para apoiar a Ucrânia belicamente, com bilhões de dólares enviados em armamento e mísseis para os nazistas que assumiram o poder desde o golpe de 2014.

Gostou do artigo? Faça uma doação!


COTV

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.