Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Apoiador do nazismo

Estadão elogiava Hitler porque perseguia judeus e comunistas

Imprensa burguesa brasileira tenta esconder seu passado mas o pretenso "antifascismo" não passa de uma folha de parreira.


De uma hora para outra, observamos pipocarem de todos os lados figuras autoproclamadas “antifascistas”. Diante da poderosa campanha de difamação contra o youtuber Monark, os monopólios das comunicações também aproveitaram para vestir suas fantasias de combatentes do nazismo. Um dos veículos desse monopólio, o jornal O Estado de S. Paulo embarcou nessa campanha, dedicando uma série de matérias para se apresentar como representante de uma suposta democracia.

Diante de tanto barulho, é interessante checar a ficha de cada um desses “antifascistas” que emergiram de repente. Uma manchete do jornal em questão, datada de 17 de setembro de 1935, exaltava o então chanceler alemão: “Importante discurso do Sr. Hitler perante o Reichstag”. O subtítulo já era mais objetivo: “Medidas contra o bolchevismo e os judeus”.

O caráter anticomunista da extrema-direita sempre foi e ainda é muito apreciado pela burguesia internacional. Em 1938, por exemplo, nas vésperas da deflagração da Segunda Guerra Mundial, Adolf Hitler foi eleito “Homem do ano” pela famosa revista norte-americana “Time”. Nesse momento, o despreço e perseguição aos judeus na Alemanha já eram públicos e notórios há alguns anos.

A matéria citada do jornal O Estado de S. Paulo cita muitos trechos do discurso de Hitler e as leis propostas na ocasião. A terceira delas é bastante transparente em relação à política oficial do regime em relação aos judeus, visando “a proteção ao sangue, à honra alemã”:

“Convencido de que a pureza do sangue alemão é condição prévia da conservação do povo alemão, e animado da vontade inflexível de garantir para sempre o futuro da nacionalidade alemã, o “Reichstag” promulga solenemente a lei que seque:

-Art, 1º) Ficam proibidos os casamentos entre judeus e alemães ou pessoas de sangue alemão. Os enlaces já contratados, contrariamente a esta disposição são nulos, mesmo no caso em que se deviam celebrar no estrangeiro. O ministério público é o único qualificado para pedir a anulação de casamentos.

-Art. 2º) As relações sexuais entre judeus e alemães ou pessoas de sangue alemão são proibidas.

-Art. 3º) Os judeus ficam terminantemente proibidos de terem empregados ou empregadas domésticas alemãs ou de sangue alemão com menos de 45 anos de idade.

-Art. 4º) É proibido aos judeus embandeirar com as cores do ‘Reich’ os seus estabelecimentos.”

É possível acreditar que os editores do tradicional jornal da burguesia paulista não sabiam do que se tratava o nazismo? Que se tratava de um violento ataque à classe operária de conjunto e que os judeus estavam sendo usados como “bode expiatório” da crise econômica alemã?

Um trecho reproduzido do discurso de Hitler, mostra um dos lados mais apreciados do nazismo por essa burguesia e explicita o seu carácter reacionário:

“O Congresso não deve deixar a menor dúvida sobre o fato de que o nacional-socialismo se oporá, do modo mais radical, a todas as tentativas do bolchevismo de Moscou de tomar pé na Alemanha ou de a levar no caminho da revolução”

O papel histórico do nazismo, e de todas as outras variantes do fascismo italiano, foi a manutenção do capitalismo e com isso a preservação dos privilégios da burguesia. A etapa revolucionária inaugurada com a Revolução Russa de 1917 fez a burguesia mundial tremer nas bases e abrir o caminho para o desenvolvimento do fascismo nos países industrializados. O jornal O Estado de S. Paulo, na matéria citada, mostra como a burguesia tinha enorme entusiasmo com a truculência nazista na Alemanha e como a perseguição racial aos judeus não era tratada como algo negativo nem minimamente repreensível.

Essa mesma imprensa apoiou e deu sustentação ao golpe militar de 1964 no Brasil, que teve atuação inspirada no próprio nazismo em relação à esquerda como um todo. Mais recentemente, apoiou a fraude eleitoral de 2018 e a eleição de Bolsonaro, um fascista dos dias de hoje, e ataca sem parar a principal candidatura de esquerda, a candidatura à presidência de Lula.

Esse pessoal quer agora aproveitar o linchamento virtual do youtuber Monark para fingir que combate o fascismo, mas seu currículo mostra que toda a sua trajetória foi trilhada em apoio aos governos fascistas ao longo dos anos.

Gostou do artigo? Faça uma doação!


COTV

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.