Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Abutre

Ciro Gomes confirma que irá novamente para Paris

Assim como em 2018, Ciro Gomes tem como alvo principal dos seus ataques o Partido dos Trabalhadores.


A crise política no país tem tornado infrutíferos os esforços da burguesia para driblar a polarização entre Lula e Bolsonaro. O pesado investimento na candidatura de Simone Tebet tem dado pouco retorno e a estratégia pseudo-esquerdista de Ciro Gomes fica mais exposta do que em 2018. Após sequestrar a legenda do PDT, Ciro procurou se apresentar como uma figura popular, evocando um desenvolvimentismo nacionalista nas figuras de Getúlio Vargas, que criou o PTB que antecedeu o PDT, e Leonel Brizola. Logo ele, que desempenhou papel central na destruição da Gurgel enquanto governador do Ceará no começo dos anos 1990.

Este Diário já vem denunciando o papel do oligarca regional nas eleições pós-golpe de 2016 há bastante tempo. Para muitos, sua “fuga” para Paris no segundo turno das eleições de 2018 foi o fato que explicitou sua atuação contra o PT. Anos depois, a evolução da crise fez com que o próprio declarasse bem antes do período oficial da curtíssima campanha eleitoral que sua tarefa era “derrotar o PT no primeiro turno”. A desculpa para tal disparate foi que o PT seria o partido com menor chances de derrotar Bolsonaro no segundo turno das eleições de 2022.

Agora, na reta final do pleito e derretendo eleitoral e politicamente, Ciro mostra até para quem não quiser enxergar para que ele serve à burguesia. Após anúncio prévio, o candidato à presidência divulgou um “manifesto à nação”, transmitido em redes sociais. Pressionado por apoiadores da candidatura de Lula, inclusive de dentro do PDT, o oligarca deu uma “aula” de história ao alertar que “o Brasil está na iminência de sofrer a maior fraude eleitoral da sua história”. Depois da deposição da presidenta eleita em 2014 após apenas dois anos e da prisão e impedimento do líder nas pesquisas nas eleições seguintes, segundo Ciro, essa “maior fraude” não teria como alvo o PT como nas duas últimas eleições.

“Na reta final da campanha mais vazia da história, embalam tudo no falso argumento do voto útil. Com essa pregação, querem eliminar a liberdade das pessoas de votarem no regime de dois turnos, primeiro no candidato que mais representa seus valores e, se for o caso, de optarem depois por aqueles que mais se aproximem de suas ideias”

“Os que pensam que apertar o 13 elegerão Lula, mesmo que com seus defeitos, estarão, na verdade, elegendo os mesmos que saquearam o país nos últimos anos, com os quais Lula vergonhosamente de novo se aliou”

“Lula e o PT passaram 14 anos no poder e deixaram o Brasil com os mesmos problemas que encontraram. A prova disso é a rápida evaporação dos efeitos da fugaz benesse que conseguiram produzir, impulsionada por ciclos favoráveis de commodities”

“Bolsonaro, sua cria maligna, seguiu parte dessa cartilha, aliando-se ao Centrão e rendendo-se à corrupção e ao clientelismo. E acrescentou, sem dúvida, conteúdos gigantescamente mais pavorosos: o desrespeito às instituições e crimes contra a humanidade”

“Nada deterá a minha disposição de seguir em frente a empunhar a bandeira do novo projeto nacional de desenvolvimento e, também, a denunciar os corruptos, farsantes e demagogos que tentam ludibriar a fé popular com suas falsas promessas”

A tal fraude seria a inevitável polarização política criada pelo golpe de Estado e pela resistência popular a ele. Resistência que se aglutinou na defesa da candidatura de Lula em 2018 e novamente agora em 2022. O combate agressivo à polarização é um serviço que Ciro tem tentado tresloucadamente cumprir para a burguesia, que tentou emplacar uma candidatura por fora dos dois polos reais da situação política. Existem três cenários possíveis para essas eleições: Lula, Bolsonaro ou a terceira via. Ao atacar os dois primeiros, como candidato travestido de esquerdista, Ciro mira desestimular especialmente o voto em Lula.

Diante dos apelos ao que seria um candidato de esquerda na “luta contra o fascismo”, Ciro se pintou de mártir da democracia: “Estou sendo vítima de uma gigantesca e virulenta campanha, nacional e internacional, para retirada da minha candidatura”. Lula foi preso e impedido de derrotar Bolsonaro em 2018, Ciro recebeu um apelo público que, certo ou errado, apresenta esse objetivo de impedir a reeleição de Bolsonaro. Diante da realidade objetiva, Ciro desponta nos holofotes como uma figura fraca e decadente, incapaz de cumprir seu papel para o setor principal da burguesia.


COTV

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.