Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Mais uma morte

Ativista é assassinado pelas forças de repressão na Colômbia

Já são 187 líderes sociais mortos só neste ano

Outro líder social, identificado como José Ricaurte Quintero Marín, de 56 anos de idade, foi assassinado no município de Armênia, capital do departamento de Quindió, na Colômbia, de acordo com denúncia do Instituto de Estudo para o Desenvolvimento e a Paz (Indepaz). Ele fazia parte da Fundação dos Sobreviventes de Maná, que trabalha com famílias de pessoas desaparecidas.

Segundo o instituto, o líder foi morto no bairro Patio Bonito Bajo, onde foi abordado por homens armados próximos da sua residência. Ele estava com o filho, um menos de 17 anos de idade, que acabou ficando ferido na ação.

Um oficial que trabalha com o caso na região disse: “Várias unidades policiais chegaram ao local e fizeram buscas pelo local com a finalidade de coletar informações. Foi relatado que as duas vítimas estavam numa motocicleta, foram abordadas por uma pessoa que, sem dar uma palavra, sai do arbusto e dispara tiros com uma arma de fogo”.

Em nota divulgada na sua conta oficial no Twitter, a Indepaz expressou o seguinte: “(José Ricaurte Quintero Marín) Era um líder comunitário e membro da Fundação dos Sobreviventes de Maná, composta por famílias de pessoas desaparecidas que se uniram em um trabalho coletivo para atuar em torno da verdade, da justiça e da reparação.

Os dados revelados pela organização revelam que, ao longo deste ano de 2022, 187 líderes sociais foram assassinados no país da América do Sul, 1.407 desde que o Acordo de Paz, firmado em 2016, foi estabelecido.

Sobre essa perda, a Unidade de Buscas de Pessoas Desaparecidades (UBPD) deixou claro a sua repulsa diante desse ato criminoso e manifestou sua solidariedade à família da vítima. “A diretora da UBPD, Luz Marina Monzón Cifuentes, em nome de toda a sua equipe de trabalho e, particularmente, de quem acompanhando a Fundação, expressa a sua mais completa solidariedade à família do senhor Ricaurte”, diz uma nota publicada na conta oficial da UBPD no Twitter.

Ainda na mesma rede social, a organização afirmou: “Esperamos que se garanta justiça frente a esses atos e pedimos que as autoridades tomem medidas rapidamente e as encaminhem para a Fundação dos Sobreviventes de Maná”.

A Defensoria do Povo havia emitido um alerta mais cedo, ao tomar conhecimento dos grupos armados, para restringir o trabalho das organizações e lideranças sociais e comunitárias.

Antes desse crime, houve a notícias de mais dois homicídios, todos contra líderes sociais. Foram eles os assassinatos de Jesús Maria Mora, em Tolima, e de Javier Gámez Hinojosa, em Guajira.

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.