Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Crise alimentar

"Pelo menos 50 países são criticamente dependentes de nossos grãos, incluindo os países mais pobres da África", disse um parlamentar russo


A Rússia está pronta para substituir completamente os grãos ucranianos no mercado mundial, disse o vice-presidente do Conselho da Federação (câmara alta do parlamento russo), Konstantin Kosachev, após a decisão de Moscou de suspender sua participação na Iniciativa de Grãos do mar Negro.

“Pelo menos 50 países são criticamente dependentes de nossos grãos, incluindo os países mais pobres da África. Dada a grande colheita no país, a Rússia está pronta para substituir completamente os grãos ucranianos no mercado mundial. Nosso potencial de exportação na safra atual é estimado em mais de 50 milhões de toneladas”, disse Kosachev.

De acordo com o parlamentar sênior, fora do acordo de grãos de Istambul, cerca de 10,5 milhões de toneladas de grãos russos já foram enviadas para países da Ásia e da África.

No sábado (29), o Ministério da Defesa russo disse que a Rússia estava suspendendo sua participação no acordo de grãos após o ataque de drones da Ucrânia contra navios da Frota Russa do mar Negro, na baía de Sebastopol.

O ministério disse que a preparação do ataque matinal de drones a Sebastopol foi realizada sob orientação de especialistas do Reino Unido na cidade de Ochakov.

O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, disse no sábado (29) que Washington estava pedindo à Rússia que retomasse sua participação na iniciativa de grãos.

Blinken acusou Moscou de usar alimentos como “arma” e disse que a retirada da Rússia do acordo de Istambul estava “impactando diretamente os países de baixa e média renda e os preços globais dos alimentos”.

O embaixador russo nos Estados Unidos, Anatoly Antonov, comentou as observações de Blinken dizendo que a ação imprudente de Kiev foi a culpada pela retirada da Rússia do acordo de grãos.

Antonov enfatizou que a Rússia não pode continuar sua participação na iniciativa de grãos em meio a sérias preocupações de segurança.

“Ao suspender a implementação do acordo, é injusto condenar a Rússia. Isso aconteceu por causa das ações imprudentes das autoridades ucranianas. Quanto às insinuações sobre ‘provocar’ a fome, gostaríamos de relembrar nossos repetidos apelos para enviar cargas de alimentos, em primeiro lugar, para países necessitados. No entanto, em vez disso, uma boa metade de todos os navios de carga seca sob o ‘acordo de grãos’ foi destinado para países desenvolvidos”, disse Antonov.

Segundo o embaixador russo, Somália, Etiópia, Iêmen, Sudão e Afeganistão receberam apenas cerca de 3% dos produtos agrícolas como parte da iniciativa de grãos.


COTV

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.