Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Crise imperialista

100 dias da reação russa contra o imperialismo na Ucrânia

Ação da Rússia colocou em xeque o domínio do imperialismo no mundo


Hoje se completam 100 dias da operação especial militar dos Russos no Donbas e na Ucrânia. Há 100 dias o imperialismo se desespera com um sucesso constante do maior país do planeta que expulsa as tropas imperialistas de seu vizinho, a Ucrânia, e inspira todos os povos do planeta a lutar no processo. Há 100 dias a classe operária de Donetsk e Lugansk avançam rapidamente para libertar completamente seus países da invasão dos nazistas da OTAN. Esse artigo explorará os principais acontecimentos desses 100 dias.

O primeiro ponto para se compreender a guerra atual é que sua data de início não se deu em 24 de fevereiro de 2022 mas sim em 2014, quando os EUA organizaram um golpe de Estado na Ucrânia impondo um regime baseado em milícias nazistas. Foram essas milícias, em conjunto com o exército regular, totalmente dominado pelos fascistas, que inciaram as batalhas nas cidades de maioria russa, que foram as que mais resistiram ao golpe dado o caráter anti russo do novo regime. Em Odessa os nazistas massacraram os militantes de esquerda na Casa dos Sindicatos, na Crimeia a Rússia interveio ainda em 2014, já no Donbas a classe operária pegou em armas e iniciou sua guerra de libertação que agora completou 8 anos.

Após 8 anos de guerra entre um governo e milícias nazistas armadas pela OTAN e uma população civil organizada em milícias populares e mais de 14 mil mortos a Rússia finalmente decidiu intervir na situação. No dia 22 de fevereiro, após um intenso bombardeio ucraniano na República de Donetsk e durante um processo de provocação de meses com o objetivo de inserir a Ucrânia na OTAN, Vladimir Putin reconheceu ambas as Repúblicas Populares de Donetsk e Lugansk. Dois dias depois se inciava a operação militar especial com um extremo sucesso.

Nos primeiros dias a destruição dos principais alvos militares ucranianos foi tão intensa que para muitos a guerra parecia que não duraria nem um mês. A tropas russas bombardearam alvos militares em toda a Ucrânia com destaque para as bases áreas incluindo aquelas nas proximidades da capital Kiev, como a de Hostomel. As tropas russas também tomaram o território ao sul da Ucrânia por meio do território russo da Crimeia. Enquanto isso as milícias populares de Lugansk e Donetsk iniciaram a retomada do território de suas repúblicas ocupado pelos nazistas desde 2014.

Enquanto a Rússia vencia a guerra no fronte desde o princípio o imperialismo lançou uma nova guerra em que ele possui mais poder de fogo, a da propaganda. Imediatamente uma gigantesca campanha histérica anti Rússia se iniciou que chegou a cancelar até mesmos artistas, cursos de literatura, estátuas em museus de cera, até mesmo o bilionário dono do Chelsea sofreu com a campanha. A imprensa burguesa iniciou uma feroz campanha pro nazistas da Ucrânia em quase todo o planeta, que apesar de um sucesso inicial foi muito mal recebida pelos trabalhadores do mundo que logo passaram a fazer protestos anti OTAN e pró Rússia.

A campanha anti rússia corria a todo vapor e em poucos dias as tropas encontravam uma das piores atrocidades realizadas pela OTAN na Ucrânia, dezenas de laboratórios de armas biológicas. Esses foram financiados diretamente por George Soros, o filho de Joe Biden e outros importantes integrantes do partido democrata. Esses laboratórios foram destruídos pelos próprios ucranianos como queima de evidencias para impedir que o mundo soubesse o tamanho da monstruosidade que o imperialismo estava disposto a criar para massacrar os povos oprimidos.

Em conjunto a campanha de difamação se iniciou também a guerra econômica, gigantescas sanções foram impostas ao país sendo uma das principais a remoção do país do sistema financeiro SWIFT. Muitas empresas grandes também fecharam suas portas na Rússia como McDonalds, Starbucks e a Coca Cola. A maior sanção imposta à Rússia foi a na venda de gás, a maior riqueza do país, para combater esse ataque Putin definiu que o gás, essencial para os europeus, deveria ser pago em Rublos, o que estabilizaria a sua moeda ante a economia internacional, passados 3 meses as grandes empresas da Itália e da França já adotaram o rublo e agora os Alemães, ou seja, os 3 mais importantes países da Europa continental.

A principal batalha da guerra até o dia 20 de maio foi a cidade portuária de Mariupol, na República Popular de Donetsk. Lá se encontrava a principal base nazista do país, a sede da maior milícia financiada pela OTAN, que em 2022 já se encontrava formalmente integrada ao exército, o Batalhão Azov. Os nazistas lutaram até o último civil ucraniano, que foram usados como escudos humanos durante os quase 3 meses de confronto. O exército Russo, apoiado nas tropas da Chechenia sobre a liderança de Ramzam Kadyrov e em conjunto a milícia popular de Donetsk travaram essa que foi a mais destrutiva conquista da guerra.

No fim os nazistas se refugiaram em uma enorme siderúrgica, a de Azovstal e iniciaram uma campanha suicida para basear a propaganda anti Rússia. Durante todo o processo em Mariupol, bem como em toda a Ucrânia os russos tomaram um enorme cuidado para não massacrar a população civil, atingindo ao máximo apenas alvos militares. Esse é um dos principais motivos que o avanço do controle territorial se tornou lento após algumas semanas da guerra, a maior parte dos grandes alvos já havia sido destruída e os nazistas ocuparam posições difusas em meio a centros populacionais.

No dia 20 de maio Mariupol foi libertada, enquanto isso as milícias populares de Lugansk avançavam para tomar completamente o seu território de direito. Os territórios ao norte do país, onde não há tanta presença da população russa foram deixados pelas tropas do exército Russo e o foco da guerra se tornou o sul e as próprias Repúblicas Populares de Lugansk e Donetsk. Nossos correspondentes na frente de batalha no Donbas reveleram que apenas 5% do território de Lugansk esta sobre o controle da OTAN, a tendência e que agora as principais batalhas sejam pela libertação de Donetsk. Após 100 dias de guerra o imperialismo sai derrotado e duas nações estão prestes a conquistarem sua liberdade. Z! Até a vitória!


COTV

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.