Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Palestina

Novas provas do massacre israelense de 1948 são reveladas

Palestinos foram expulsos de suas terras pelas tropas israelenses patrocinadas pelo imperialismo

israel guerra 1948 (1)

─ Prensa Latina ─ Os líderes israelenses estavam cientes dos massacres que suas tropas cometeram durante a guerra de 1948 contra os palestinos, de acordo com documentos classificados divulgados hoje pelo jornal Haaretz.

“Os testemunhos continuam a se acumular, os documentos são revelados e gradualmente emerge um quadro mais amplo dos assassinatos cometidos pelas tropas israelenses” durante o conflito, disse o jornal.

Essa conflagração viu a criação do Estado sionista após a derrota árabe e a expulsão de centenas de milhares de palestinos de suas casas.

“As atas registradas durante as reuniões do gabinete em 1948 não deixam dúvidas: os líderes de Israel sabiam em tempo real sobre os eventos sangrentos que acompanharam a conquista das aldeias árabes”, observou o jornal.

Segundo relatórios, o então ministro Haim Moshe Shapira alegou que todos os fundamentos morais de Israel foram minados por tais atos, enquanto seu colega de gabinete Aharon Zisling disse que havia passado uma noite sem dormir. Vários funcionários exigiram uma investigação, mas o Primeiro Ministro David Ben Gurion foi evasivo, observou a publicação.

Haaretz alegou com base nos documentos que “os massacres visavam palestinos indefesos, os idosos, as mulheres e as crianças”.

Em apenas 30 horas, dezenas de aldeias árabes foram ocupadas no norte, e milhares de pessoas foram deslocadas de suas casas, embora a maioria não tenha participado do conflito, disse ele.

Como exemplo de crimes, ele citou o caso do massacre realizado em julho de 1948 pelas forças israelenses na aldeia de Al Rina, onde 14 pessoas foram mortas.

Outro evento semelhante ocorreu na vila de Al Burj, sobre as ruínas da colônia judaica de Modi’in.

O jornal também revelou novas evidências do massacre de 35 pessoas na aldeia de Hula por membros do grupo terrorista Irgun liderado por Menachem Beguin, mais tarde primeiro-ministro de Israel.

O texto indicava que o grupo incluía idosos e crianças, que foram forçados a cavar um buraco e depois atirar à queima-roupa.

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.