Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Dispensada pelo hospital

Mulher dá à luz na calçada, instantes depois de sair do hospital

Marido e garapeiro fazem o parto na calçada


No dia 12 de junho, a servidora pública Heloísa de Almeida foi ao Centro de Referência em Saúde da Mulher em Ribeirão Preto, interior de São Paulo tentar ter sua filha em um ambiente hospitalar. A mesma relata que neste dia, teria acordado cerca de 5 horas da manhã sentindo dor e que apenas não foi de imediato ao hospital devido ao seu marido que precisava descansar de uma jornada de trabalho na madrugada. Mas ao chegar às 6:30, as contrações se tornaram insuportáveis a cada 3 minutos do tempo, tendo que ir às pressas ao hospital.

Ao ser atendida, a médica que fez o exame falou que o colo do seu útero estava muito duro, mandando a paciente para a observação, fazendo posteriormente a algumas horas um novo exame de toque. Heloísa conta que neste momento a sua bolsa estourou e a maca ficou toda molhada de sangue. Mas a médica insistiu que era apenas uma perda normal de líquido, dispensando a trabalhadora.

Heloísa deixou a clínica sentindo dor e ao ir para o seu carro, onde esperava seu marido, devido às restrições da covid-19, ela resolveu anestesiá-la com analgésicos, no entanto, antes mesmo de fazer efeito, entrou em trabalho de parto. Sua filha simplesmente caiu no chão. Seu marido, Fábio Palmeira, mecânico industrial, e o vendedor de caldo de cana, Walter Prado, foram os primeiros a prestarem socorro, segurando a mulher para que não caísse em cima do bebê.

“Ele veio correndo, pegou minha filha e a colocou no meu colo. Depois chegaram umas dez enfermeiras, cortaram o cordão umbilical lá na rua mesmo, me colocaram na cadeira de rodas e fomos para dentro do hospital”, relatou Heloísa à revista Crescer, a quem deu a entrevista sobre o caso.

Para a UOL, o hospital procurou se defender dizendo que essas são situações imprevisíveis. O que é uma verdadeira piada, pois é bastante comum os hospitais públicos mandarem para casa os pacientes, mesmo que o caso seja alarmante, como uma forma de diminuir o fluxo já supersaturado do hospital.

Os hospitais brasileiros são essencialmente sucateados pelos golpistas que têm a nítida intenção de privatizar suas instalações e, por isso, permitem que aberrações como essas venham a acontecer. A mulher foi ao hospital, foi liberada, mas visivelmente estava prestes a parir, apenas não teve o amparo e cuidado o suficiente para ficar mais tempo e receber o atendimento adequado.

Por isso, é preciso reverter as privatizações e estatizar todo o sistema de Saúde (para isso é preciso derrubar todo o governo, recheado de golpistas), para que dê a assistência adequada aos ambientes hospitalares impedindo que o mesmo seja vendido, é preciso proteger a saúde dos trabalhadores, particularmente das mulheres.


COTV

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.