Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Matheus Vetter

Membro da Direção Nacional do Partido da Causa Operária. Coordenador Nacional dos Comitês de Luta Lula Presidente e da Corrente Sindical Nacional Causa Operária.

Retrospectiva 2021

2021: vitória das posições revolucionárias

Organizar um partido operário e de massas no Brasil


O ano de 2021 foi um ano complicado para classe operária brasileira: disparada da inflação, atingindo a casa dos 10% (manipuladas), aumento do desemprego, pela primeira vez na história o número de pessoas sem registro em carteira superou o de pessoa com vínculo empregatício, corrosão salarial, com a alta dos preços e os salários congelados os trabalhadores viram seus salários valendo cada dia menos.

De um lado, a crise sanitária fez agravar a crise do capitalismo a nível mundial, de outro as organizações dos trabalhadores que já vem de um longo período de paralisia decretaram o fechamento dos sindicatos e literalmente entregaram os trabalhadores a própria sorte, para coroar a capitulação ainda tivemos que ver organizações como a CUT apoiarem a demissão de trabalhadores, com o apoio a passaporte da vacinação.

Os partidos políticos por sua vez tiveram um papel grotesco, desde o início da pandemia tiveram como política oficial o apoia a qualquer tipo de atrocidade levado adiante pelos governadores e prefeitos científicos, como o lockdown, a obrigatoriedade da vacinação, dentre outros. Assim como os sindicatos decretaram o recesso das mobilizações de rua em detrimento da proliferação do vírus.

O único contraponto a toda essa política de capitulação foi o Partido da Causa Operária, que, no início em março de 2020, quando toda a esquerda decretou lockdown, lançou-se na política de constituição de conselhos populares de saúde para enfrentar a pandemia ombro a ombro com a população, seja no âmbito sanitário, político ou econômico.

Naquele mesmo ano, nos opomos às famigeradas lives de 1º de maio promovidas pelas ditas centrais sindicais e com a participação de verdadeiros inimigos da população como Fernando Henrique Cardoso. Chamamos um 1º de Maio independente e de luta, o único ato de 1º de maio do Brasil.

Em 2021, o ano iniciou também pelo 1º de maio. Diferentemente de 2020, já havia condições para chamamos um ato de rua, no qual agrupando diversas organizações que tinham a clareza de que era preciso sair às ruas para defender os interesses dos trabalhadores contra o genocídio que estava sendo cometido contra a população. Naquela altura já estávamos em 500 mil mortos, e a esquerda nacional persistia em ficar escondida debaixo da cama.

Finalmente, o 1º de maio impôs uma ruptura no dique de contenção impostos pela esquerda e foram convocados para o dia 29 de maio mobilização pelo Fora Bolsonaro a nível Nacional. Essas mobilizações eram verdadeiras mobilizações de massas — segundo os organizadores no primeiro ato cerca de 500 mil pessoas saíram às ruas em mais de 300 cidades.

Daí em diante foram chamados atos mensais, e a política da esquerda pequeno burguesa passou de completa omissão para o estrangulamento por dentro das manifestações, colocando-a a reboque da famigerada CPI do Covid, alterando datas das manifestações, querendo impor a direita goela abaixo dos militantes o verde e amarelo, etc.

Neste sentido, para contrapor a capitulação, o PCO, em conjunto com outras organizações, lançaram o Bloco Vermelho, a vanguarda da manifestação, o setor mais consciente e podemos dizer com tranquilidade o responsável por impor uma derrota a penetração da terceira via nas mobilizações, derrota tamanha que essas candidaturas até agora não conseguiram decolar. A surra que o PSDB levou na paulista e a contundentes vaias que Ciro Gomes teve que ouvir em São Paulo foram o prego no caixão que faltava para essas candidaturas.

Em novembro, o Bloco vermelho chamou a realização de uma plenária, que levantou um programa de reivindicações dos setores participantes do Bloco Vermelho e convocaram um ato para o dia 12 de Dezembro por Lula Presidente. Esse ato foi um verdadeiro sucesso e nela o que mais se ouvia era “Lula Sim, Alckmin não”.

A participação do companheiro Rui Costa Pimenta em canais de YouTube e Rádio FM foi na casa das dezenas de milhares no ano de 2021, com destaque para o Programa Pânico. O Canal da COTV no YouTube está prestes a atingir os 100 mil inscritos, o DCO atingiu a marca de 1 milhão de leitores em 1 mês com as denúncias feitas pelo órgão sobre a relação de Guilherme Boulos com o imperialismo. Com toda certeza, a influência do PCO saltou neste ano das centenas de milhares para os milhões. Somos o partido trotskista mais influente do planeta e oriundo de um país central no continente Latino Americano.

2022 vem aí, a situação política está mais quente do que nunca. Temos carnaval, Copa do Mundo e as eleições nacionais para a presidência da República. Temos a política correta e popular, no momento de maior crise que o país já enfrentou: o caminho está aberto para a constituição de um partido operário e de massas.

Gostou do artigo? Faça uma doação!


COTV

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.