Snowden e o golpe no Brasil

Compartilhar:

O mais recente filme de Oliver Stone, sobre o ex-agente da CIA Edward Snowden, é um tapa na cara dos coxinhas disfarçados de patriotas e da esquerda que não acredita em conspirações.

Mesmo sabendo do golpe há bastante tempo e dos interesses econômicos do imperialismo na derrubada de Dilma Rousseff, não consigo tirar da cabeça o instante em que o logotipo da Petrobras apareceu estampado na tela do cinema.

É que Snowden chega à conclusão, óbvia para muitos, mas chocante para um patriota fervoroso como ele era, de que a campanha contra o terrorismo levada adiante pelos Estados Unidos é apenas um pretexto para garantir sua dominação do mundo.

Snowden denunciou o Prisma, programa que permite aos órgãos de inteligência norte-americanos ter acesso a todos os e-mails, mensagens e conversas privadas e inclusive vídeos extraídos de telefones celulares e computadores (mesmo desligados).

Tudo isso para facilitar as operações de derrubada de presidentes que não sirvam aos interesses norte-americanos e a tomada das riquezas desses países.

Snowden mostra claramente que os EUA conspiram contra o mundo.

O que é tão perturbador na imagem da Petrobras estampada na película é a confirmação do que já sabíamos há muito tempo: que somos um joguete na mão do imperialismo. Que derrubaram Dilma Rousseff, financiaram a extrema-direita, acabaram com qualquer aparência de garantia democrática; que estão dispostos a prender qualquer pessoa minimamente ligada ao PT e seus governos, preparando a prisão de Lula; que querem extinguir o PT enquanto partido, intervir nos sindicatos, reprimir brutalmente quem se opuser, em suma, estão virando o país de ponta-cabeça. E para quê? Para destruir a indústria nacional, reduzir os trabalhadores brasileiros a escravos e roubar todo o nosso petróleo e o que mais virem pela frente.

Snowden percebeu que não era Obama e nem a subida de qualquer outro presidente que iria mudar a situação. Também no Brasil não há presidente capaz de livrar o país da dominação imperialista e os governos do PT são prova disso. Não apenas o PT não libertou o país, e nem se propunha a isso, como acabou derrubado pelo imperialismo. Não é possível consertar o capitalismo; nenhuma mudança “por dentro” é realista. O que o golpe mostrou é que é preciso uma mudança profunda, radical. Não é à toa que os defensores do golpe militar estão levantando a cabeça. A situação política está se polarizando e deve em algum momento ter um desfecho; ou vencem as forças da reação, que colocarão o país no caminho do atraso e da servidão por tempo indeterminado, ou vencem as forças revolucionárias, as massas lideradas pelos trabalhadores, único setor capaz de fazer o país se desenvolver e se libertar da opressão imperialista, colocando-o no caminho da libertação de toda a humanidade: o socialismo.

artigo Anterior

Burguesia quer esquecer mais um massacre

Próximo artigo

O fascismo: um movimento para aniquilar as organizações operárias

Leia mais

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.