A morte de um gigante – O trágico destino do Coral Alexandrov

Compartilhar:

No acidente aéreo do Tupolev-154, na Rússia, pereceu a maioria dos cantores de um dos melhores corais do mundo.

O Coral Alexandrov era formado, sobretudo por homens e, nele, sobressaíam os baixos – uma característica dos coros eclesiásticos das igrejas ortodoxas eslavas.

O coral, que já foi conhecido como Coral do Exército Vermelho, foi oficialmente fundado em 1928, sob a direção de Alexandr Alexandrov. O coral foi batizado por Stálin com o nome de Conjunto de Canto do Exército Vermelho, ou, simplesmente, Coral do Exército Vermelho.

A partir de 1949, o coral não foi mais chamado de Coral do Exército Vermelho e sim de Coral Alexandrov, em homenagem a seu primeiro diretor, Alexandr Alexandrov, que é o autor do belíssimo Hino Nacional Soviético, hoje utilizado como Hino da Rússia.

Durante o período soviético, o coral fazia viagens por todos os países da URSS, visitando desde os mais remotos vilarejos até as maiores cidades. E, durante a Segunda Grande Guerra, apresentava-se para as tropas.

Após a morte de Alexandr Alendrov, seu filho Boris Alexandrov assumiu o coral tornando-o famoso fora das fronteiras de seu País.

O coral era tão disciplinado que não tinham necessidade da presença do maestro durante as apresentações. Ainda que o maestro estivesse sempre presente, nem todos os músicos conseguiam enxergá-lo.

Em seus primeiros anos, o coral contava com poucos músicos. Mas o que o caracterizava, ultimamente, era o corpo de aproximadamente 80 cantores. Havia algumas mulheres no elenco, mas nem sempre se apresentavam, já que o coral era eminentemente masculino, de acordo com a tradição litúrgica.

Acompanhava os cantores uma orquestra e solistas de instrumentos típicos russos como a balalaica. O repertório do grupo era formado principalmente por canções militares e folclóricas.

Com o fim do Estado Soviético, o conjunto entrou em crise financeira. Em 1993, no entanto, reuniu-se com a banda finlandesa conhecida como Cowbois de Leningrado para concertos em Helsinque e em Berlim. A partir daí, passou a realizar diversos concertos junto a grupos de música popular, organizados por grandes produtores do meio artístico.

Ultimamente, o coral era dirigido por Viatcheslav Korobko.

No Natal deste ano (2016), 64 membros do Coral Alexandrov morreram na queda do Tupolev-154. Restaram apenas 3 cantores. O conjunto se dirigia à Síria onde cantariam para as tropas russas e para civis. O avião caiu a 1,5 km de Sochi, no mar Negro.

O Ministro da Cultura russo, Vladímir Medinski, disse que “o conjunto vai recuperar-se a qualquer custo”, o que foi ratificado pelo Ministro da Defesa, Nicolai Pankov.

Fazemos votos para que isso seja verdade e para que a Rússia se recupere de mais uma das tantas tragédias pela qual vem passando o país desde 1991.

artigo Anterior

Colômbia, o enclave imperialista, faz acordo com a OTAN

Próximo artigo

No recesso, governo Alckmin impõe “pacote de maldades” contra Educação

Leia mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.