MES: choro em Alepo, silêncio no Brasil

Compartilhar:

Já faz algum tempo que vem chamando a atenção dos observadores mais atentos a completa adaptação da esquerda pequeno-burguesa à propaganda e, por consequência, à ideologia imperialista. O Movimento Esquerda Socialista (MES), corrente interna de Luciana Genro no PSOL, é um dos mais destacados propagandistas do imperialismo.

No Brasil, o que os representantes do imperialismo, ou seja, a direita golpista, falam, essa esquerda repete. Internacionalmente é a mesma coisa. Se um jornal imperialista chora por algum “atentado terrorista”, lá vai a esquerda pequeno-burguesa chorar também. Seguir a política imperialista já se tornou tão natural para essa esquerda pequeno-burguesa que ela nem se preocupa muito em pelo menos parecer diferente do imperialismo. Basta uma demão bem clarinha de verniz esquerdista.

O último evento internacional que foi uma verdadeira demonstração de seguidismo ao imperialismo foi a Guerra na Síria. Quanto mais próxima era a derrota do imperialismo em Alepo, maior era o choro dos jornais imperialistas e maior, portanto, era o choro da esquerda pequeno-burguesa. O MES de Luciana Genro publicou uma matéria no final do mês de dezembro para denunciar os “Responsáveis e cúmplices do genocídio em Aleppo”. Para o MES, os responsáveis são os russos e Assad. Eles são os responsáveis pelo “banho de sangue na cidade síria” para o qual toda a imprensa imperialista derrubou lágrimas de crocodilo. E assim como toda a imprensa imperialista, por motivos óbvios, o MES também isentou o imperialismo.

Mas não estamos aqui para entender os detalhes da guerra na Síria, ainda que a posição do MES seja completamente pró-imperialista. O objetivo desse artigo é outro: mostrar que as lágrimas derramadas pelo MES para o que ele chama de “genocídio em Alepo” não são derramadas pelo massacre que acontece bem aqui, no Amazonas.

O portal da internet do MES não tem uma palavra sequer sobre o massacre que deixou ao menos 60 presos mortos. As condições sub-humanas do sistema penitenciário brasileiro geraram o maior massacre desde o Carandiru. Sobre isso, nada. Nem uma palavra, muito menos choro. O MES só derrama lágrimas para a “Alepo agredida pelos maldosos russos”.

Os negros, filhos da classe operária brasileira que foram jogados para os presídios graças a uma sociedade exploradora e repressora, esses não merecem o choro da esquerda pequeno-burguesa. A classe média não se importa com isso. É o famoso “não é comigo”.

O MES não fala nada, não se comove com a morte de dezenas de pessoas, pelo simples motivo que a imprensa golpista brasileira, por motivos óbvios, também não liga a mínima a não ser aproveitar o massacre para fazer campanha para defender o aumento da repressão.

O MES é obediente. A direita imperialista mandou chorar por Alepo para atacar a Rússia e Assad, mas não mandou chorar pelo massacre dos presos no Amazonas. Não mandou denunciar o sistema penitenciário que é uma máquina de tortura e terror contra o povo pobre e a população negra. Se é assim, então silêncio.

artigo Anterior

Cadeias Lotadas: quase metade dos presos nem foi julgada

Próximo artigo

Governo golpista anuncia o programa “Menos Médicos”

Leia mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.