PA: justiça golpista quer colocar 2 mil famílias na rua para beneficiar grileiros

Compartilhar:
Justiça golpista do Pará quer colocar 2 mil famílias sem-terra na rua para beneficiar grileiros

A Vara Agrária de Marabá no Estado do Pará decidiu em audiência realizada no município, decidiu pela reintegração de posse de 20 latifúndios grilados que foram ocupados pelos movimentos de luta pela terra.
A decisão da justiça golpista vai afetar mais de duas mil famílias que estão tirando seu sustento dessas terras que foram griladas do Estado pelos latifundiários e especuladores de terra, e que foram posteriormente ocupadas e reivindicadas para reforma agrária.
A justiça do Pará é uma das principais responsáveis pelos conflitos agrários no sul do Estado, que levou a recentes massacres e assassinatos, criando uma das áreas de é maior conflito e violência contra a população do campo do país. É importante lembrar que essa mesma vara agraria de Marabá expediu o pedido de reintegração de posse e os mandados de prisão de lideranças sem-terra que resultou na chacina de Pau-d’Arco este ano e soltou os polícias militares e civis que formavam um esquadrão da morte em defesa dos latifundiários na região.
A decisão revela o papel golpista e de defesa da burguesia e dos latifundiários, que atuando em conjunto com o golpistas tucanos liderados pelo governador Simão Jatene e com a polícia fascista mantém uma verdadeira ditadura contra os trabalhadores sem-terra do Estado.
Os golpistas atuam para garantir grandes extensões de terra para lucrar, tomando as terras dos pequenos camponeses, matando sem terras e impondo um regime de terror e escravidão no campo.

É preciso lutar contra os golpistas e derrotá-los com apoio dos trabalhadores da cidade, anulando o impeachment da presidente Dilma Rousseff. É a única maneira para avançar nas pautas dos trabalhadores e efetivar a reforma agrária com a luta dos sem-terra.

 

artigo Anterior

10/nov: mobilizações refletem dispersão e confusão política das direções

Próximo artigo

Trabalhadores dos Correios de Campinas aprovam greve contra o fim do plano de saúde

Leia mais

Deixe uma resposta