Manuela D’Ávila: relaxem, PCdoB não tem nada de comunista

Compartilhar:
Manuela D'Ávila: relaxem, PC do B não tem nada de comunista

Diante da repercussão que o lançamento de sua candidatura à Presidência República vem causando nos meios da política burguesa do país, a deputada estadual pelo Rio Grande do Sul, Manuela D´Ávila do PCdoB, pré candidata, vem sendo assediada todos os dias pela imprensa burguesa.

Mostrando que a imprensa burguesa tem interesse na candidatura da militante do Partido Comunista do Brasil, a imprensa golpista deu publicidade a uma das entrevistas de Manuela, aonde a “comunista” diz que o mercado capitalista, ou seja, os grandes capitalistas e banqueiros não precisam se preocupar com sua candidatura, pois seu programa político não propõe reduzir os seus lucros. Ao ser perguntada sobre o PCdoB assustar o mercado, a pré-candidata disse “Não há razão para o mercado se assustar com o PCdoB. Vamos procurar os setores econômicos vinculados à indústria nacional. O PCdoB é um partido sério.”.  A seriedade do PCdoB significa não afetar os capitalistas e o mercado.

A pergunta que fica para essa afirmação da candidata à presidenta do país pelo PCdoB é a de se o programa de um partido comunista não vai alterar o status quo da exploração capitalista do tal “Mercado” capitalista no país, então o que esse partido têm em seu programa de comunista?

Obviamente que a resposta é simples, o que Manuela quer transmitir aos capitalistas é que o PCdoB só têm comunismo na sigla, mas sua política e seu programa de governo não vai ser muito diferente de qualquer partido capitalista, a de fortalecer o mercado e os interesses dos capitalistas, já que na sociedade capitalista é impossível agradar a gregos e a troianos ao mesmo tempo, ou seja, aos capitalistas e aos trabalhadores que possuem interesses conflitantes.

Ainda foi perguntada sobre possíveis alianças com os partidos golpistas que apoiaram o impeachment de Dilma Rousseff e a candidata do PCdoB demonstrou que o golpe não é a questão do momento. Segundo ela, “Essa eleição é um momento de debate do futuro do País. Nós caracterizamos o que aconteceu como um golpe institucional. A partir disso, achamos que essa eleição é um momento de debate de futuro, não de passado.”. O “debate de futuro” significa virar a página do golpe, esquecer o golpe, os golpistas e concorrer nas eleições que sequer podem acontecer por causa desses mesmos golpistas que o PCdoB quer esquecer.

Estas declarações de Manuela mostram que a intenção é passar uma mensagem de tranquilidade para que os capitalistas possam não só deixá-la divulgar tranquilamente sua candidatura, como conseguir apoio e alianças de setores capitalistas e golpistas nessa sua empreitada.

artigo Anterior

Operação do Exército com os EUA na Amazônia é provocação à Venezuela

Próximo artigo

Prefeito furioso: Doria sanciona PL do atropelamento de ciclistas

Leia mais

Deixe uma resposta