COTV: Uzwela – Conversa com a banda Surra HC

Compartilhar:
COTV: Uzwela - Conversa com a banda Surra 1

Nesta quinta-feira, às 19h, na edição do “Uzwela – Conversa sobre Cultura”, contamos com a presença do powertrio Surra HC. Leeo Mesquita (vocal e guitarra), Guilherme Elias (baixo e vocal que não pode participar) e Victor Miranda (bateria) contaram um pouco do seu processo e caminhada ao longo destes cinco anos, desde a formação da banda autointitulada Thrashpunk Antifascista ou ainda: “um baita de um Hardcore/Crossover/Thrash Metal de demolir cidades inteiras!”.

A história de quando os integrantes se conheceram, segundo Leeo, em idades diferentes, teve inicio com a própria afinidade musical. O guitarrista e o baterista conversavam sobre seus gostos musicais e descobriram ter afinidade sobre a banda Nuclear Assault, uma banda americana de Crossover/Thrash Metal  da cidade de Nova York, e ai decidiram montar uma banda nessa linha de som. Banda essa que não era o Surra, nos idos de 2004-2005, passando ainda por outra banda até chegaram na formação atual desde 2012.

Os dois artistas que participaram da entrevista dizem não ter influência musical na família, apesar do baterista ter sido incentivado pelo pai a tocar bateria. Ao contrário dos dois, o baixista, surpreendentemente, toca muito bem samba, por viver, segundo eles, junto ao pai em meios a rodas de samba e domina o instrumento de corda chamado cavaco.

Uma curiosidade muito interessante assinalada por eles em meio a agradável conversa, é de que a cena de Rock na cidade de Santos, cidade onde moram, já foi reconhecida por um estudo a algumas décadas, a segunda cidade do mundo com mais banda por metro quadrado, perdendo apenas para a capital estadual de Washington D.C., Seattle.

A banda diz ter uma sonoridade “misturada”, centralmente no estilo Thrash Metal, mas viajando pelo Hard Core e, influenciados pelo público, por osmose segundo eles, o Punk entrou nas músicas rápidas e ruidosas, com canções abordando política, anti-fascistas e revolucionárias.

Outras influências sensacionais da banda são: banda Crossover/Thrash Metal, Ratos de Porão; a banda de Heavy Metal, Sepultura; e principalmente a banda de Thrash Metal, Kreator. O baterista, individualmente, diz que foi influenciado pelo baterista da banda de Black/Death Metal nacional, Vulcano; a banda Safari Hamburguers; e a banda de Hardcore Punk, Psychic Possessor. O guitarrista diz ser influenciado por Paul Gilbertum guitarrista norte-americano que fez parte da banda de Heavy Metal, Racer X; também o Symphony X, uma banda americana de metal progressivo entre outras.

COTV: Uzwela - Conversa com a banda Surra

Algo muito interessante também é o fato de Guilherme, baixista, ser muito bom em desenhos, em diagramação e mexer com a criação artística. Junto a outros desenhistas eles criaram os desenhos baseados nas músicas. Além disso, as histórias pessoais dessas criações se baseiam nos gostos dos integrantes sobre HQ (revistas com histórias sequenciais narradas em etapas/quadros), escolhendo músicas caricatas e que marcaram para tirar o desenho das letras, acabando na produção fantástica das capas.

Sobre seus shows pelo Brasil e pelo mundo, os integrantes ressaltaram que no Brasil há uma dificuldade grande para trabalhar, dependendo particularmente do suor das bandas pra fazer a cena acontecer, havendo poucos bares que tem estrutura e estão abertos para as bandas.

Sobre a questão política, surgiu uma pergunta sobre a luta contra o nazi-fascismo e das táticas Black Bloc para organização e resistência. Segundo eles, a direita pressiona a sociedade financeiramente e de todas as formas possíveis, sendo assim, a autonomia das bandas vai sendo minada também pelo seu caráter político. Já sobre a luta política em específico, disseram ser anti-fascistas – havendo até mesmo um adesivo da bandeira “Antifa” na guitarra de Leeo, como visto nos vídeos da banda – e se posicionaram a favor das táticas Black Bloc, assinalando que foi a própria Globo que os caracterizou como terroristas.

artigo Anterior

Vigora a nova legislação que ataca os direitos trabalhistas, entenda os principais pontos

Próximo artigo

Brasileirão 2017 – Três jogos e treze gols. Trigésima terceira rodada foi fechada em grande estilo

Leia mais

Deixe uma resposta