Mais uma do golpista João Doria: áreas sociais vão ter corte de R$ 1,5 bilhão

Compartilhar:
Mais uma do golpista João Dória: prefeito tucano irá reduzir repasse para áreas sociais em R$ 1,5 bilhão

O prefeito playboy da cidade de São Paulo, João Doria Junior, seguindo a política dos golpistas em nível nacional de congelamento e corte no investimento público, pretende cortar a verba destinadas à áreas sociais fundamentais para o desenvolvimento da cidade, como Habitação, Saúde, Esporte, entre outras. De acordo com o Projeto de Lei encaminhado à Câmara de Vereadores do município, o PL 686/2017, o recurso destinado à autarquia Hospitalar Municipal, responsável pelos hospitais públicos, será reduzido em R$ R$ 436,2 milhões. Na área de Habitação o corte será na casa dos R$ 251 milhões. O dinheiro destinado às subprefeituras regionais também sofrerá um corte, neste caso de R$ 436,2 milhões.

Os cortes atingiram outras áreas fundamentais, tais como, Serviços e Obras: R$ 422,7 milhões; Cultura: R$ 81,7 milhões; Esportes e Lazer, R$ 67,7 milhões; Assistência Social, R$ 13,6 milhões; Serviço Funerário Municipal, R$ 28,4 milhões, e Verde e Meio Ambiente: R$ 10,4 milhões. Ao todo o valor congelado chega à R$ 1,5 bilhões

A prefeitura de São Paulo, no início da gestão de Doria, já havia congelado cerca de 13% do investimento previsto para esse ano, R$ 54 milhões previsto para 2017. Mantém-se ainda congelados cerca de R$ 3,9 bilhões  dentre os quais R$ 850 milhões na Educação, R$ 329 milhões na Saúde, R$ 128 milhões na Cultura e R$ 174 milhões na administração dos hospitais municipais.

Por outro lado, Doria irá aumentar o dinheiro repassado para a Secretária de Desestatização e Parcerias em R$ 15,2 milhões. Esta área é responsável pelas privatizações, ou seja, por elaborar o plano de entrega do patrimônio de São Paulo para os empresários e grandes capitalistas.

Já na área da Saúde, o repasse será apenas 1% maior do que 2017, passando de R$ 8 bilhões para R$ 8, 1 bilhões. Setores da saúde sofreram cortes.  Serão de R$ 178 milhões em Operação e Manutenção das Unidades Hospitalares, Pronto Socorros e Pronto Atendimento; de R$ 18 milhões em Vigilância Sanitária; e de R$ 7 milhões com Operação e Manutenção de Unidades Básicas de Saúde Básica e de Especialidades. Além disso, a previsão para pagamento dos servidores sofreu redução de aproximadamente R$ 100 milhões.

No caso das subprefeituras, os cortes de Doria afetaram serviços básicos, como poda de árvores, limpeza de pichação, corte de mato, varrição, pequenos consertos em vias e tapa buraco, entre outros.

Este é mais um presente do golpista João Doria para a população paulistana. O prefeito coxinha, que já reprimiu morador de rua, cortou leite das creches, mandou derrubar prédio abandonado com moradores sem teto dentro, privatizou os principais pontos da capital e quis dar lixo em forma de ração para a população, agora irá reduzir o dinheiro investido nas áreas sociais.

Essa é a política do prefeito anti-povo, perito em destruir as condições de vida da população de São Paulo. A política de Doria nada mais é do que a expressão mais bem acabada daquilo que os golpistas querem impor ao país. Nesse sentido, a luta contra o golpe está na ordem do dia. É necessário organizar os comitês de luta contra o golpe em cada bairro da cidade

artigo Anterior

Em entrevista, PCdoB não consegue explicar porque vai lançar candidata a presidente

Próximo artigo

Doria quer destruir previdência dos servidores

Leia mais

Deixe uma resposta