Irã X Arábia Saudita: Houthis lançam míssil contra aeroporto internacional de Riad

Compartilhar:
Irã X Arábia Saudita: Houthis lançam míssil contra aeroporto internacional de Riad

Começa o desenrolar dos diversos fatos ocorridos na Arábia Saudita no decorrer da última semana. Concomitante ao golpe de Estado, dado, mais uma vez, sob a insígnia polivalente da corrupção, um míssil destinado à capital Riad, provavelmente à região do Aeroporto Internacional Rei Khalid, foi interceptado pelas forças nacionais de segurança.

Irã X Arábia Saudita: Houthis lançam míssil contra aeroporto internacional de Riad 1
Houthis do Iêmen

Os acusados pelo lançamento do míssil são milícias do Iêmen, integrantes dos rebeldes Houthi (xiitas). O grupo é combatido por uma coalisão na qual a Arábia Saudita (sunita) ocupa lugar de liderança. Além disso, o comando saudita apurou, preliminarmente, que o responsável pelo fornecimento do míssil é o governo do Irã, o que vem sendo negado por este.

A celeuma da região, que orbita ao entorno da relação de forças entre Teerã (Irã) e Riad (Arábia Saudita), foi marcada, ainda, pela renúncia do primeiro-ministro do Líbano (Saad Hariri) apoiador dos sauditas, ameaçado de morte pelos libaneses do Hezbullah. O grupo, com apoio do Irã, vem promovendo ações violentas contra a Arábia Saudita.

Sendo assim, em poucos dias, Riad declarou guerra ao Líbano, por entender que os grupos contrários aos sauditas estão no comando do país, e ao Irã, entendendo que o país arma rebeldes combatentes do Iêmen, nação que, por sua vez, encontra-se devastado pela guerra e por um surto de fome e cólera. Para completar o quadro, o Irã vem sendo alvo de um entrave internacional, marcado por denúncias da “comunidade internacional” – leia-se “imperialismo e seus subordinados” – de que o país estaria desenvolvendo pesquisas nucleares sem fins pacíficos.

O desenrolar dos fatos no Oriente Médio indicam uma aceleração da instabilidade historicamente existente no local. A luta entre o imperialismo e o interesse dos povos árabes, mascarada por antiquadas (embora oportunas) guerras religiosas e monárquicas, reverbera de forma ampliada cada uma das trepidações do cenário internacional.

artigo Anterior

A hipocrisia de Flávio Dino e do PC do B

Próximo artigo

Trabalhadores dos frios têm reunião com os patrões

Leia mais

Deixe uma resposta