Fascista intimida debate de mulheres

Compartilhar:
Fascista intimida debate de mulheres

A perseguição da extrema direita está a todo vapor depois de atacar à liberdade artística, os ataques aos museus, performances e exposições, o ataque aos estudantes de Pernambuco, uma nova investida aconteceu na última sexta-feira (3) na Feira do Livro de Porto Alegre (RS). Desta vez, os alvos foram mulheres que participavam de um sarau feminista.

O Rafinha BK, do canal “BK Tuber”, uma espécie de fascista como o “Mamãe Falei” do Movimento Brasil Livre (MBL). O jovem se dedica a invadir encontros e manifestações que ele considera “de esquerda” e intimidar os participantes para ironizá-los em seus vídeos.

Foi o que ele fez no sarau da Feira do Livro. BK invadiu a roda, composta apenas por mulheres, e começou a filmá-las sem nenhum tipo de autorização. Ao filmá-las, BK afirmava que as feministas estavam “propagando ideologia de gênero com dinheiro público”. Em meio à “invasão”, a atividade teve seu fim antecipado.

A ação em Pernambuco mostrou como agir diante da direita. É preciso enfrentar à altura. As mulheres deveriam ter colocado esse fascista para correr e não ter antecipado seu fim.

A direita é uma minoria dentro da sociedade que só consegue se impor por meio da força bruta e utilizando os recursos dos grandes aparatos capitalistas. Com o golpe, a direita não apenas se sente à vontade para ir para a ofensiva como também é criado um movimento artificial como se houvesse uma adesão de massas.

artigo Anterior

Alianças com a direita golpista: “virando a página do golpe” 2?

Próximo artigo

Doria encontra mais um inimigo: o esporte

Leia mais

Deixe uma resposta