Na dúvida, acuse um negro

Compartilhar:

Em matéria publicada hoje, 09, por um sítio on line, foi denunciado um erro grave de uma grande emissora religiosa nacional, a R7. A emissora apontou, errônea e absurdamente, um homem negro – sem divulgar nomes e conferir fontes -, que salvou diversas crianças do incêndio provocado por um segurança de uma escola em Minas Gerais, nesta quinta-feira, 05, como o causador da tragédia.

Em um de seus programas religiosos e através de um pastor, disseram ao vivo que o homem que ateou fogo em si mesmo e nas crianças foi o que na verdade salvou as mesmas. A tragédia perpetuada pelo vigia noturno da creche, Damião Soares dos Santos, 50 anos, levou também a professora Heley de Abreu Silva Batista e diversas crianças ao óbito.

A situação de aparente “confusão” nos remete ao racismo que perpetua ainda hoje na elite e nos religiosos em nossa sociedade. Esta realidade, que ainda nos salta aos olhos em pleno século XXI, aparece agora em forma desse erro grotesco do jornalismo religioso, onde, frente a essa cena de horror – vista em diversos vídeos nas redes -, o senhor branco tacou fogo dentro da sala na escola infantil, e um outro senhor negro, junto a populares desesperados, teria ajudado a salvar as crianças. Mas adivinhem quem a imprensa burguesa denunciou que era o criminoso? O negro.

A elite racista tem que ser derrotada pelas mãos do povo negro, maioria em nosso país e até hoje mantidos nos cativeiros: escolas como cadeias e cadeias como masmorra.

artigo Anterior

Ato do dia 11 se organiza em todo o país

Próximo artigo

Tradutor

Leia mais

Deixe uma resposta