Democracia é a ditadura do Congresso e não do Judiciário

Compartilhar:

Somos ensinados na escola que na República existem três poderes, que são independentes entre si, e são representados em seus níveis máximos, pela presidência, pelo Congresso e pelo Supremo Tribunal Federal, STF.
Hoje em dia, dizem estes poderes são iguais, isso é uma usurpação. Dizem ainda que são estes três poderes os pilares da democracia, também falso.

Hoje vemos cada vez mais o judiciário, poder não eleito, cancelando leis feitas pelo parlamento, afastando e cassando parlamentares, já mostraram no julgamento da chapa Dilma-Temer que eles tem o poder de derrubar presidentes. sobre o discurso de igualdade, estabeleceram a ditadura do Judiciário sobre todos os outros poderes da República.

A supremacia dos outros poderes sobre o Congresso é o primeiro e mais importante passo para a criação de uma ditadura. Neste momento no Brasil existe uma enorme campanha contra os políticos e a política e principalmente contra o Congresso Nacional. Independentemente do mérito dos deputados, o ataque tem um propósito mais profundo.

Analisando historicamente, em todas as ditaduras qual é o poder suprimido? É o Legislativo. Na Alemanha de Hitler o poder central era o Executivo, o Reichstag não era um poder, era um acessório do Executivo. O mesmo serve para Mussolini, e para a Ditadura Militar do Brasil, que quando não conseguia controlar o Congresso, fechava-o, como fez no Pacote de Abril e no AI-5, e reabria-o como um apêndice do governo dos generais. Em todos os casos, censurado foi o Legislativo, o Executivo e Judiciário mantiveram-se.

Isso tem uma raiz histórica. O atual modelo “democrático”, a democracia burguesa, tem como marco de formação, a Revolução Francesa. Naquela época, uma das principais vitórias democráticas foi o estabelecimento do Congresso, e era ele o espírito da democracia.

O Congresso é o representante do povo. O Executivo é um poder que censura, em quanto um Congresso mais democrático representará todas as classes sociais e suas diferentes correntes, o Executivo representará apenas uma força com o mesmo poder todas as outras que governam as casa legislativas. Este STF que hoje legisla no Brasil, que aplica leis retroativamente, é uma aberração, e sua ditadura apenas existe pois os setores que controlam o STF foram incapazes de fazer o mesmo com o Executivo.

O Brasil caminha para uma ditadura aberta, que seria sem sombra de dúvida o Executivo e o Judiciário, subjugando o legislativo e a representação popular para governar, curiosamente a mesma formula que os franceses tiveram de derrubar em 1789. O presidente é o poder monárquico da sociedade moderna, cumpre a mesma função, e o Judiciário é o mesmo Judiciário da época absolutista, isso tudo fica agravado nas monarquias.

A tentativa de subjugar o representante da democracia, é uma tentativa e uma campanha aberta por um governo autoritário.

artigo Anterior

O melhor argumento contra Ciro Gomes é da base que o apoia

Próximo artigo

Plenária debate prepara o 2o. Ato Nacional Pela Anulação do Impeachment

Leia mais

Deixe uma resposta