Professores em nova greve contra destruição da UERJ

Compartilhar:

Os professores da UERJ entraram, mais uma vez, em greve nesta terça, dia 3. As principais reivindicações são o pagamento de salários atrasados desde agosto, condições de trabalho e a manutenção da isonomia.

O governo estadual colocou a universidade estadual do RJ no fim da fila de prioridades, seguindo a orientação política dos golpistas que é destruir  ensino público.

O sindicato da categoria, ADUERJ, informa ainda que, apesar da assinatura do acordo de refinanciamento da dívida, o governo estadual permanece deixando a Universidade sem custeio e as bolsas continuam atrasadas.

A assembleia dos professores decidiu ainda neste primeiro dia de greve unificar a luta em defesa da soberania nacional e contra as privatizações. A próxima assembleia acontece hoje, 4/10, às 14h, na Capela Ecumênica/RJ.

O fato é que a UERJ está servindo de laboratório de um processo de privatização em marcha de todas as universidades públicas do país – estaduais e federais. No roteiro dos golpistas, além das privatizações dos setores estratégicos de defesa nacional, ainda não privatizados, está em pauta também a privatização das universidades públicas e ainda de todo o ensino médio.

A mobilização de toda a comunidade acadêmica das universidades públicas é imperativa neste momento. Essa mobilização só poderá ter sucesso se der lugar em cada unidade universitária a amplos comitês de luta contra o golpe de estado, em defesa da ensino púbico e pelas reivindicações de toda a comunidade universitária.

artigo Anterior

Banco do Brasil fecha única agência na Venezuela e demite funcionários

Próximo artigo

Lido nas redes

Leia mais

Deixe uma resposta