Economia dos golpistas é a mesma da ditadura: crescer o bolo e nunca dividir

Compartilhar:

Durante a ditadura militar, uma frase ficou famosa e serviu para demonstrar como a direita, a burguesia usa de todos os meios para falsificar a realidade a seu favor. O Ministro da Fazenda, Delfim Neto, disse na época que era preciso “crescer o bolo” para depois poder dividi-lo, em referência a uma suposta melhora da economia durante o regime militar. Na realidade, a afirmação de Delfim Neto não passou da mais pura farsa, o que houve na realidade foi uma falsificação. Para poder apresentar um índice baixo da inflação, o governo militar rebaixou os salários, os quais eram reajustados de acordo com a inflação de cada ano. O que se viu, de fato, foi que o bolo nunca cresceu e os suas partes continuaram todas nas mãos dos grandes capitalistas.

O governo golpista de Temer usa da mesma tática para tentar enganar o povo. Editorial do jornal golpista O Estado de São Paulo dessa segunda-feira, 11, comemorou o que seria um melhora nos índices econômicos. Com o mesmo argumento dos anos de chumbo, o país estaria crescendo, mas vai demorar “um pouco” ainda para que a população sinta os efeitos. Este discurso não passa da mais pura enrolação. O que há no país hoje é uma recessão econômica. Para ilustrar a melhora, os golpistas utilizam o dado de que o PIB “cresceu” 0,5%. O que na realidade, ao contrário do otimismo da direita, não significa  um crescimento real. Não há crescimento nenhum, os trabalhadores e diversos setores não sentem na prática a melhora, o que há, de fato é um crescimento do desemprego no país, além das demissões.

A inflação baixa, também utilizada pelos golpistas para legitimar o crescimento, a qual teria ficado em 1,62% entre janeiro e agosto de acordo com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), na verdade reflete a falta de atividade econômica no país. Com a crise, a movimentação econômica interna , compra e venda, está muito baixa, o que reduz o índice da inflação.

Os golpistas procuram, portanto, apresentar uma fantasia para tentar fazer parecer que a sua política de caráter neoliberal, ou seja, de ataque aos direitos mais elementares do povo, seria positiva para o desenvolvimento econômico do país. O que se vê, no entanto, é um retrocesso gigantesco, com o fim dos direitos, como a CLT, a aposentadoria, o corte nos investimentos públicos, isso sem falar na privatização das empresas nacionais. O único desenvolvimento possível do país passa, necessariamente, pela derrota do golpe e de todos os golpistas. A mobilização popular, a formação de comitês de luta contra o golpe, a luta pela anulação do impeachment, são os principais meios para isso.

artigo Anterior

Multirão em Londrina no domingo coletou centenas de assinaturas pela anulação do impeachment

Próximo artigo

Burguesia nacional tenta se defender da Lava Jato

Leia mais

Deixe uma resposta