Lula não será preso, se o povo não deixar

Compartilhar:

Lula prepara-se para outro confronto com Sérgio Moro em Curitiba, daqui a dois dias. Os golpistas querem para este depoimento o que queriam para o que ocorreu no dia 10 de maio, ver o ex-presidente atrás das grades.

Desta vez, aproveitaram a desmobilização do feriado prolongado e lançaram uma série de ataques. O primeiro deles foi a acusação feita pela Procuradoria Geral, neste momento um mero escritório de advocacia da direita golpista, contra toda cúpula petista, incluindo Lula, que diz que o partido e seus membros constituem um organização criminosa.

Em seguida surgiu a delação de Antônio Palocci, um depoimento fabricado, feito sob medida para incriminar Lula, a imprensa repercutiu tudo isso, e têm repercutido todas estas notícias, preparando o terreno para um ataque contra Lula.

É óbvio que o povo brasileiro está sendo vítima de operação política, estão tentando intimidar os partidários de Lula e da esquerda, que são a maioria do povo trabalhador, a não reagir a este ultraje.

É preciso dizer esta operação só pode ser bem sucedida se as organizações dos trabalhadores e os próprios trabalhadores não lutarem. A delicadeza com que os golpistas tratam a situação mostra a fraqueza da posição deles, preparam todos estes ataques pois têm medo de uma reação e é uma reação que precisamos dar a eles.

Moro, a Polícia Federal e os golpistas são covardes. Eles consideram necessário levá-lo à capital paranaense para poder prendê-lo. Querem fugir do centro da mobilização, é preciso levar o centro da mobilização até eles.

O Partido da Causa Operária, militantes do PT e da Central Única dos Trabalhadores reagiram prontamente a ameaça de prisão de Lula e estão organizando caravanas, mas neste momento crítico, é preciso que estejam mobilizados, da base à cúpula,  cada sindicato e partido de esquerda com um objetivo: levar caravanas de todo o País e garantir a segurança do ex-presidente Lula. Eles podem ser derrotados, Lula não será preso, se o povo brasileiro não deixar.

artigo Anterior

RS: professores se mobilizam contra ataques do governo golpista

Próximo artigo

“O justiceiro”, por Ademir Almeida

Leia mais

Deixe uma resposta