Fora imperialismo da América Latina, abaixo o golpe na Venezuela!

Compartilhar:

O imperialismo assumiu nos últimos anos uma politica golpista contra os governos que não seguem a risca os seus interesses, a sua cartilha neoliberal de assalto aos direitos do povo. Foi assim no Egito, na Ucrânia, em Honduras, no Paraguai e, recentemente no Brasil. A Venezuela e mais um exemplo da ofensiva do imperialismo, ou seja, do avanço de sua politica golpista contra  os países atrasados. O governo Maduro tem enfrentado um duro ataque por parte da direita golpista nos últimos meses – sabotagem econômica por parte dos empresários, violência de grupos fascistas nas ruas, intensa campanha da imprensa contra o presidente.

A Venezuela e a segunda maior produtora de petróleo no mundo, durante os governos chavistas, o petróleo foi nacionalizado, o que possibilitou um avanço econômico do país, principalmente nas áreas sociais.No entanto, os grandes monopólios internacionais querem botar as mãos na riqueza venezuelana e com isso pilhar totalmente o país, impondo um programa de miséria e repressão contra toda a população.

Para tanto, precisam derrubar o governo nacionalista de Maduro, o qual possui amplo apoio popular e constitui um obstáculo aos planos do imperialismo. Para tal feito, a direita golpista venezuelana busca desestabilizar o governo de todas as formas, conta com apoio internacional de grupos e ONGs norte-americanas, as quais agem como verdadeiros infiltrados no país.

Em resposta a ofensiva da direita, o governo Maduro convocou no último mês uma Assembleia Nacional Constituinte, a qual contou com o apoio da maioria do povo, Assembleia que tem como objetivo realizar reformas constitucionais em beneficio da população mais pobre da Venezuela.

A direita, que propagandeia que Maduro seria um ditador, não aceitou a medida democrática do governo, ou seja, de colocar nas mãos do povo a decisão dos rumos do país, e procuro a todo momento boicotar a Constituinte. O que vemos na Venezuela é uma intensificação da política golpista dos capitalistas internacionais e seus capachos venezuelanos, o que transformou a Venezuela no principal foco mundial de resistência e de luta, nesses momento, contra o imperialismo.

Nesse sentido, e necessário que todas as organizações de esquerda, movimentos populares, além de todos os setores progressistas, se solidarizem com a Venezuela e se coloquem contra o golpe de estado, contra a derrubada de Nícolas Maduro. Se os golpistas tiverem êxito em sua política, a direita ganhará ainda mais força para implementar o seu programa contra os povos oprimidos, como no caso brasileiro, onde após o golpe contra o governo petista, os golpista tem aplicado todo um ataque sem precedentes aos direitos de toda a população, isso sem falar na violação dos direitos democráticos e do aumento da repressão. A derrota do golpe no Brasil passa necessariamente pela derrota dos golpistas na Venezuela. Abaixo o golpe na Venezuela! Abaixo o golpe no Brasi! Abaixo o golpe na América Latina!

Assista entrevista exclusiva do Causa Operária TV com o cônsul-geral venezuelano, Faustino Torella Ambrosini:

artigo Anterior

Protesto contra Doria durante inauguração de Ciclovia

Próximo artigo

9 de setembro de 1828 – Nasce o gigante da literatura, Leon Tolstói

Leia mais

Deixe uma resposta