Golpistas, tirem as patas da Petrobrás

Compartilhar:

Denúncia publicada no site Petronotícias no último dia 29 de agosto, expressa a dimensão do desmonte que o governo golpista promove com as suas próprias empresas. Segundo matéria desse site, por iniciativa do seu presidente, Pedro Parente, “a Petrobrás vendeu como sucata 80 mil toneladas de peças e aços que seriam as plataformas de petróleo P-71 e P72, que estavam praticamente prontas para serem montadas”. Acinte é pouco para descrever a liquidação do patrimônio do povo brasileiro pelos testas-de-ferro do imperialismo e dos banqueiros, que fazem a farra com as riquezas do país.

A política de liquidação das plataformas da Petrobrás visa entregar para as grandes empresas estrangeiras toda a extração de petróleo no Brasil. Em abril passado, os golpistas já haviam entregado duas plataformas construídas e atracadas na Bahia por 30 milhões de dólares, quando o custo havia sido de 360 milhões de dólares, ou seja, por pouco mais de 8% do seu valor. Agora se superaram, simplesmente derreteram como sucata todo o investimento realizado em anos de trabalho.

Não foi a toa que o Pedro Parente foi colocado à frente da principal estatal brasileira. Parente é especialista em liquidação do patrimônio nacional. Foi homem-chave no processo de privatização na era FHC.

Como é típico dessa política de lesa-pátria, primeiro promovem uma campanha violentíssima via imprensa golpista com as denúncias de corrupção com a operação Lava Jato, para, em seguida, sob a catequese de que “empresa boa é empresa privada”, para “acabar com a corrupção tem de privatizar”, etc., criam as bases para o verdadeiro assalto ao país e o roubo passa do ladrão de galinha, para uma esfera na casa dos bilhões…. de dólares.

A venda das plataformas como sucata ganha ares ainda mais grave, quando vemos que se trata, também, da liquidação da indústria naval no país e, nesse caso em particular, do Rio Grande do Sul, que já empregou mais de 10 mil trabalhadores diretos e hoje não emprega nem 30% desse contingente.

O presidente do sindicato de Metalúrgicos do Rio Grande e São José do Norte, Benito Gonçalves, expressa bem o sentimento de revolta que atinge a população de toda a região: “há que se considerar toda qualificação desse pessoal, todo esforço para se transformar em metalúrgico e jogar a gente no lixo, junto com estas peças. Nada justifica utilizar um material já trabalhado para ser vendido como sucata”.

Os golpistas não deixam nenhuma dúvida dos seus propósitos. Assim como gafanhotos diante de uma plantação, vieram para liquidar o país, destruir todas as conquistas sociais e sugar todas as nossas riquezas. Só a derrota do golpe com o cancelamento de todas as suas medidas será capaz de deter essa praga.

artigo Anterior

Ataques às casas de Umbanda e Candomblé crescem com golpe de Estado

Próximo artigo

A política educacional dos golpistas: intoxicação alimentar deixa 50 estudantes doentes

Leia mais

Deixe uma resposta