10 executados no Morumbi, esse B.O é de vocês

Compartilhar:

Todo o estardalhaço feito em torno do ejaculador, tarado, seja lá o que for (do busão) não teve mesma intensidade no caso dos 10 executados, em emboscada, pela Polícia Civil de São Paulo, em massacre ocorrido em bairro nobre, no Morumbi, no último dia 3.

E aqui se configura o flagrante delito. É a demagogia de determinados setores da esquerda, que se lançaram junto com a direita para que o rapaz, doente mental, fosse trucidado pelo sistema penal, mas… para a dezena de mortos no Morumbi, que viraram peneira, vale o “quem liga?”. A própria imprensa divulga o caso com uma nota, como um pequeno acidente, algo sem valor.

O listão dos mortos com suas idades foi divulgado, como uma espécie de lista de inscritos em concurso, no atacado. O que esses 10 faziam antes de encontrar o chumbo da repressão brasileira, o que queriam, se tinham algum sonho na vida, ninguém liga. Ninguém quer saber por um motivo: são ou devem ser negros, ou pobres.

O rapaz do busão é outro pobre coitado, também. A única coisa que querem dele é que morra, em qualquer situação possível e imaginável. Talvez em uma emboscada. Fica a tarefa para este Diário de acompanhar atentamente os noticiários, pois daqui a 30 dias, uma nota: “é encontrado morto rapaz acusado de assédio em ônibus de São Paulo”. E as circunstâncias serão sempre misteriosas. Bem dizer, este pobre diabo está com a pena de morte decretada.

A polícia, em um exercício de cinismo mordaz, falou que, no Morumbi, houve troca de tiros, como de tradição. Para variar, nenhum policial levou nenhum tiro. O que leva à seguinte dúvida: ou os 10 mortos – de uma quadrilha especializada – eram cegos e nem tão especializados assim, ou foi uma chacina das mais brutais já registradas, e não tem quadrilha, não tem bandido, não tem nada disso; e a polícia trata a população com o mais puro deboche.

Neste caso, da morte em “baciada”, ninguém chora, ninguém apresenta textos gigantescos sobre o caso, inventando mil desculpas e causas para defender a repressão. Os 10 mortos no Morumbi estão na conta de todos que pediram a prisão do rapaz assediador, na conta de qualquer pessoa ou organização que defende o reforço do aparato repressivo. Não tem para onde correr, a prisão é só uma parte do mesmo sistema.

Para a polícia, a detenção é um luxo, para a direita golpista também, sempre falaram isso. Eles falam que pesa para o Estado, que é caro, que “tem é que matar tudo”. Eles querem todos mortos, Rafael Braga, eu, você, sindicalistas, Lula, todo o movimento popular, sem-terra, estudantes, trabalhadores, mendigos e todos os 700 mil presos brasileiros. E estão se esforçando para isso.

Os 10 emboscados do Morumbi, e outros tantos mortos pela polícia, são apenas o resultado da interpretação extensiva da polícia, consequente e prática, do que a imprensa burguesa e a esquerda defenderam no caso do assediador. Assim, como se diz nas delegacias de polícia, segura, porque esse B.O é de vocês.

artigo Anterior

Ouça o balanço de um ano do Golpe

Próximo artigo

No Piauí, direita faz ato contra Lula e apoio a Moro, e não reúne ninguém

Leia mais

Deixe uma resposta