Mais de 5 mil educadores foram alvo de ataques físicos

Compartilhar:

De acordo com novas pesquisas, no Brasil quase cinco mil educadores afirmaram que sofreram atentados à vida nas escolas em que dão aula. Pesquisa revela que o Brasil está no topo do ranking de violência contra professores, um típico resultado da política da direita, que ataca e educação de conjunto.

A secretária da CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação), Rosilene Corrêa Lima alerta: “Brasil é um dos países que pouco investe em educação, portanto pouco valoriza os trabalhadores em educação. Aquilo que a gente não valoriza, a gente tende a agredir”.

Rosilene ressalta: “se você tem uma sociedade violenta, infelizmente você terá uma escola sofrendo dessa violência. A escola não fabrica violência, ela é vítima da violência”.

Os dados mostram que a situação do professor no primeiro ano do golpe só piorou. A imprensa golpista a todo o tempo tem apresentado os dados de aumento de violência contra a professores trazendo junto, como solução, o aumento da repressão, do policiamento, e da redução da maioridade penal, etc. que vai se virar contra a população pobre e não resolverá em nada a situação das escolas, pelo contrário.

Por isso, a organização e luta dos professores contra o golpe é imprescindível. Apenas a derrota da direita golpista no governo que ameaça por fim e atacar todos direitos dos trabalhadores poderá melhorar a situação de vida do povo.

É necessário que o movimento dos professores vá para às ruas, em unidade com a classe trabalhadora, movimento popular e outros para lutar contra o golpe, contra os ataques e por conquistas de direitos.

artigo Anterior

Vagner Freitas: “trabalhador tem que entrar em campo”

Próximo artigo

Aniversário da quadrilha especializada em roubar os professores

Leia mais

Deixe uma resposta