Para amenizar o desastre, governo promete Medida Provisória para mulheres grávidas

Compartilhar:

A CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) proíbe que a mulher grávida e amamentando trabalhe em locais que ofereçam risco a sua saúde e a do bebe. A nova lei trabalhista, dos golpistas, diz que mulheres grávidas não podem trabalhar em local de insalubridade máxima. Para os demais, só é afastada se houver atestado recomendando o afastamento, assinado por um médico. Lactantes poderão trabalhar em locais de insalubridade máxima, exceto se houver pedido médico.

Entre outros pontos de total retrocesso para o trabalhador, este foi um dos mais desastrosos, tanto que as críticas fizeram com que o governo recuasse neste item.

Em palestra para empresários, em Porto Alegre, o ministro golpista do trabalho Ronaldo Nogueira, (PTB), afirmou que o governo está elaborando uma Medida Provisória (MP) que deve ser enviada ao Congresso em 60 dias, esta medida irá aprimorar a questão para dar mais segurança a mulher grávida.

Acontece que este mesmo Congresso já aprovou a reforma trabalhista; Congresso formado por  homens, empresários e que não tem a participação das mulheres na elaboração das leis que a elas dizem respeito.

Por tanto, mesmo com a promessa de uma medida provisória, o correto é a mobilização, a pressão dos movimentos sociais para o fim deste governo ilegítimo. Só a derrota do golpe garante a segurança no trabalho para as mulheres grávidas.

artigo Anterior

Polícia dos EUA: “sim, só matamos os negros, ok?”

Próximo artigo

Policial norte americano declara que é preciso matar os negros

Leia mais

Deixe uma resposta