A CUT aderiu e a direita já tremeu

Compartilhar:

Com a adesão cada vez maior e mais assertiva dos movimentos operários e das massas em geral à política para derrubar o golpe através da anulação do impeachment, proteção ao ex-presidente Lula e apoio ao povo da Venezuela contra a intervenção direta do imperialismo, a direita percebe que agora poderá ser realmente atingida em sua ação golpista, e começa a procurar se defender, da forma ardilosa e hipócrita de sempre.

O jornalão da direita, O Estado de S. Paulo, dedicou seu editorial desta sexta-feira (01) a atacar a presidenta Dilma, obviamente atribuindo a ela todos os males do mundo, com aquele estilo peçonhento e presunçoso típico da burguesia, buscando convencer algum inocente leitor de que a salvação do país vem das mãos cheias de “competência” de um Temer, Meireles e sua quadrilha, elevados, pelo jornal, à condição de grandes heróis nacionais.

Gastar um editorial inteiro para tentar convencer que estes ladrões golpistas e usurpadores da pior espécie possam ter qualquer qualidade positiva para o povo brasileiro é realmente uma mostra clara de desespero. A questão é que agora, mais do que nunca, as massas estão se dirigindo a uma política que de fato tem plenas condições de colocar abaixo o golpe imperialista deflagrado com o impeachment de Dilma, e isto claramente está fomentando o desespero da burguesia golpista.

Desesperam-se por observar a CUT aderir diretamente ao movimento de anulação do impeachment, bem cientes de que esta é uma força poderosa, capaz de impôr grande pressão, por exemplo, ao STF em julgar os processos de anulação já em andamento, além da histórica ação popular que está sendo preparada com a adesão nominal de milhares de pessoas pelo Brasil inteiro. Desesperam-se porque estão percebendo que os trabalhadores não estão mais interessados em pautas como um simples “fora Temer”, ou mesmo um inócuo “diretas já”, mas que tomam consciência de que precisam é anular o golpe, anulando, por consequência, todas as ações tomadas pelo ilegítimo e golpista Michel Temer.

Sabem, estes direitistas do golpe, que, uma vez nulo o impeachment, nulo é o próprio ato que empossou Temer em seu cargo, o que anula, por via de consequência, tudo o que ele fez, já que a anulação do golpe implica no reconhecimento jurídico de que este golpista jamais exerceu validamente o poder. O editoral mostra também que a agitação promovida por Lula está incomodando, e muito, aos golpistas. Principalmente porque agora, com a presença de Dilma, esta caravana vai demonstrando cada vez mais seu verdadeiro objetivo, que claramente é o de despertar o povo para lutar contra o golpe.

A direita burguesa percebe que o povo tem consciência que a caravana do ex-presidente vai muito além de uma simples campanha antecipada, ideia que o jornalão golpista tenta com todas as forças passar aos seus leitores menos inteligentes e politizados, alguns até mesmo da esquerda pequeno burguesa, para não falar de setores de direta dentro do próprio PT. O desespero é tanto que buscam até convencer que os governos petistas é que eram um “desastre”. Governos em que tínhamos pleno emprego, crescimento econômico, baixa inflação e tudo aliado a políticas sociais, obras de infraestrutura, investimentos em educação, transporte e saúde.

Lutam por tentar convencer que bom mesmo é esse medíocre desgoverno golpista e sua popularidade abaixo de zero, que, além de nos lançar na pior crise econômico-social da história, ainda promoveu um desmonte geral de direitos, um entreguismo criminoso de nossas riquezas e do patrimônio nacional, e a destruição de todas as políticas sociais existentes, ou seja, um bando de canalhas que somente conseguiu produzir um enorme retrocesso, uma ponte para o passado e nada mais. A única coisa na qual anão moral e político Michel Temer e companhia podem ser considerados competentes. Enfim, o Estadão deixa claro que a direita golpista sabe que a luta está fazendo o povo acordar.

Sabem que mobilizados pela necessidade de lutar, gradual mas continuamente o povo vai tomando consciência de classe e vai começando a entender que não pode confiar na burguesia, que existe um imperialismo que nos amarra como escravos em uma bola de ferro e que esta situação insustentável e golpista está pilhando todos os nossos direitos e varrendo do mapa o nosso futuro.

A burguesia sabe que esta consciência popular cedo ou tarde levará o povo a rebelar-se diretamente contra os golpistas. Percebe que esta mobilização está se tornando cada dia mais concreta. E tem consciência de que este é o único poder capaz de derrubar o golpe. E as massas, cada vez mais lúcidas e mobilizadas, mais conscientes de quem é o seu verdadeiro inimigo, este sim é o verdadeiro fantasma que assombra a velha e decadente direita deste país.

artigo Anterior

“Cuidado!”, por Jota Camelo

Próximo artigo

RR: secretário tem carta branca para matar presos

Leia mais

Deixe uma resposta