Brasília: bancários da Caixa realizaram ato contra os ataques do governo golpista e privatista

Compartilhar:

Na última quarta-feira (23) realizou-se, no prédio localizado no setor da Asa Norte em Brasília, que abriga mais de mil trabalhadores da Caixa Econômica Federal, um ato contra a reestruturação.

A direção do banco vem implantando uma política de profundo ataque aos trabalhadores da Caixa que tem como conseqüência demissões, fechamento de agências, unidades internas e administrativas. Tais medidas já ocasionaram a demissão de mais de 7 mil bancários através dos famigerados Planos de Demissões “Voluntária” o fechamento de 131 unidades internas e administrativas e como conseqüência está havendo descomissionamentos e rebaixamento salarial.

O ato, organizado pelo Sindicato dos Bancários de Brasília, filiado à Central Única dos Trabalhadores (CUT), esteve alinhado com a mobilização que aconteceu nacionalmente nessa mesma data, contou com a participação dos funcionários lotados no prédio que fica localizado no setor da Asa Norte da Capital Federal que abriga mais de mil trabalhadores. As dependências da Caixa localizada neste prédio estão na linha de frente da “reestruturação” que está em andamento feita pela direita golpista à frente do banco, como foi o caso da Cecov (Centralizadora Nacional de Convênios) que, de uma só vez, destitui cinco funcionárias das suas funções e pretende “enxugar” o setor que conta hoje com 90 funcionários reduzindo para apenas 30.

Todas as medidas do governo golpista de ataques aos trabalhadores da Caixa visam à entrega do patrimônio do povo brasileiro para os capitalistas em crise. A CEF é uma empresa 100% estatal que possui um patrimônio em ativos de mais de R$ 1 trilhão com um lucro anual de mais de R$ 7 bilhões, conta com cerca de 100 mil trabalhadores que tem como finalidade exercer uma função social. A direita golpista com a sua política privatista quer abrir o capital da empresa começando pelas áreas das loterias e seguridade; os bancos Bradesco e Santander, com o apoio da imprensa golpista, fazem pressão para que se quebre o monopólio da Caixa como administradora do FGTS, de olho nos recursos dos trabalhadores na ordem de R$ 300 bilhões.

A política de entrega da Caixa, que está sendo orquestrada pela direita, só será barrada com a derrota do golpe de Estado. É preciso organizar a mobilização de toda a categoria bancária aliado com os trabalhadores das estatais, que também estão na mira privatista dos capitalistas parasitas, e todos os trabalhadores, colocando nas ruas uma intensa mobilização pela anulação do impeachment, para derrotar o golpe.

 

artigo Anterior

ES: professores protestam contra racismo de pastor em escola

Próximo artigo

Privatização será uma catastrofe para os funcionários da Eletrobrás

Leia mais

Deixe uma resposta