Dia 22, às ruas: abaixo o golpe na Venezuela e no Brasil. Fora o imperialismo da América Latina!

Compartilhar:
Para o próximo dia 22 de agosto, a Frente Brasil Popular, a CUT, setores do PT, PCdoB e PCO, dentre outras organizações de esquerda e da luta contra o golpe estão convocando atos em diversas capitais, junto à Embaixada e Consulado venezuelanos, bem como outros locais, como parte do dia internacional em solidariedade à Venezuela.

Estas manifestações revestem-se da maior importância no momento em que o governo do mais poderoso país imperialista do mundo, faz ameaças diretas de ações militares contra o povo venezuelano para apoiar o golpe que a direita procura consumar no País, desde a fracassada tentativa de 2002, quando foi derrotado pela mobilização popular. De lá prá cá, o cerco e sabotagem contra a Venezuela não pararam de crescer, aprofundando o caos e a miséria da maioria da população que, mesmo assim, resiste à derrubada do governo chavista entendendo claramente que os objetivos dos aliados dos EUA, com também no Brasil e em toda a América Latina, não são outros que não seja eliminar as pequenas conquistas dos últimos enfrentamentos com o imperialismo, e roubar o petróleo e toda a riqueza nacional venezuelana em favor dos abutres capitalistas norte-americanos e seus consorciados.

Por meio de golpes mais variados (no congresso, nas eleições etc.), amparados quase sempre em campanhas fraudulentas “contra a corrupção” e nos monopólios (vinculados ao imperialismo) dos meios de comunicação e   apoiados na covardia da burguesia “nacional” e da esquerda pequeno burguesa e burguesa dos países latino-americanos, o imperialismo vem impondo um período de retrocesso em larga escala em nosso continente. Isso depois do fracasso da chamada política neoliberal levada a cabo por aqui por governos fantoches do “tio Sam” (FHC, Menen etc.). Sem ter apoio popular, diante dos ataques que promoveram em seus governos, a direita pró-imperialista avançou cada vez mais para golpes de Estado para voltar ao governo e ai se manter, contra a vontade popular e para derrubar os governos eleitos pela maioria da população.

Assim como em 2002, quando a maioria da população trabalhadora venezuelana defendeu Chaves e o trouxe de volta ao governo fazendo fracassar o golpe de Estado, neste momento, está mais do que evidente que o povo e suas organizações odeiam e combatem a oposição direitista, capacho dos EUA. Repudiam os chefes da operação golpista, o imperialismo norte-americano.

Na Venezuela, no Brasil e em todo o mundo, se opor à ação golpista da direita é se opor ao imperialismo e aos seus planos de recolonização de toda a América Latina. Da mesma forma, apoiar a derrubada do governo Maduro e a sabotagem da direita – como fazem certos setores da esquerda pequeno burguesa do PSOL e o PSTU – é ficar ao lado do imperialismo contra os povos oprimidos.

A sabotagem da direita-sem-voto à Assembleia Constituinte, é a repetição de outras sabotagens às eleições legislativas depois do golpe e parte da sabotagem geral contra o povo venezuelano, sempre em defesa dos interesses do grande capital norte-americano.

A derrota do golpe em 2002, manteve e aprofundou a guinada à esquerda de toda a América Latina. A defesa da vitória do governo Maduro e povo venezuelano hoje, contra a sabotagem e todo tipo de ataque dos golpistas, é uma questão decisiva para todos os trabalhadores e suas organizações de luta de todo o continente, contra a política de rapina, de expropriação, de cassação dos direitos democráticos de todos os explorados pelo imperialismo e seus capatazes em nossos países.

É uma luta só. A luta contra o golpe no Brasil, na Venezuela e em toda a América Latina. A luta contra a derrubada do governo Temer é a mesma luta contra a prisão de Lula e pela anulação do impeachment no Brasil.

Por isso, dia 22, todo aquele que luta contra o golpe no Brasil, que quer o fim do regime golpista, deve participar e impulsionar a mobilização contra o golpe na Venezuela.

Às ruas em defesa da Venezuela. Fora o imperialismo da América Latina!

artigo Anterior

Mais um acampamento do MST é queimado no Bico do Papagaio, Tocantins

Próximo artigo

Brasileirão – Série B – Dois jogos marcaram a abertura da 21ª rodada

Leia mais

Deixe uma resposta