Insaciáveis, tucanos pressionam pela aprovação de todas as “reformas”

Compartilhar:

Mostrando ser um capacho dos golpistas, o líder do PSDB na Câmara, o deputado Ricardo Tripoli disse que não basta que a “reforma” da Previdência seja completa, mas que é preciso também atacar todo o povo trabalhador e toda a economia nacional em favor dos interesses dos banqueiros e grandes capitalistas internacionais.

“Não dá para imaginar que a única saída (para a crise econômica) é a reforma da Previdência. (…) Ela é necessária, mas é preciso apresentar um leque maior de soluções, começando pelo mais simples, como o grande volume de imóveis públicos ociosos, e passando pela discussão sobre concessões. E os bancos? Podem ajudar mais.”

Dentro do governo golpista existe uma disputa interna entre o chamado “centrão” e o PSDB. Mesmo com o pedido de demissão feito ao Temer pelos donos do golpe, o presidente golpista não caiu. O golpista teve que comprar parlamentares e fazer acordos com os partidos burgueses que pertencem ao setor chamado centrão.

O governo está sofrendo ataques de dois lados: da ala mais direitista e pró-imperialista do bloco golpista (PSDB, DEM) que representa os bancos e o capital internacional querem a derrubada de Temer por ele não ser capaz de colocar em prática, na velocidade desejada, a política de massacre contra o povo, e do centrão (PP, PSD, PR, etc.) que representa as oligarquias regionais e de setores do capital nacional que querem mais espaço no governo.

O centrão não se mostra disposto a apoiar integralmente a “reforma” da Previdência, o que impede Temer de aprovar a reforma de acordo com os interesses dos donos do golpe.

Contra os golpistas inimigos dos trabalhadores, é preciso uma mobilização contra o golpe de estado. A construção de centenas de comitês de luta contra o golpe é um passo fundamental para impulsionar esta luta.

artigo Anterior

Ocupar a Ford contra as demissões

Próximo artigo

Frase

Leia mais

Deixe uma resposta