Venezuela: de que lado você quer estar?

Compartilhar:

Na política, a lei máxima é a eficiência, e o resultado sua crítica suprema. Se uma política é correta, não é porque ela soa correta, ou porque seu discurso mas porque as ações em torno dela levaram resultado desejado, da melhor maneira possível, ou seja o que se pensa vale pouco, o que se diz vale menos ainda, e o que se faz vale o mundo.

Para nós comunistas, o objetivo natural é a defesa dos trabalhadores e dos seus interesses, a luta por uma revolução e uma sociedade socialista.

Com isso em mente, é possível ver o triste espetáculo das posições da esquerda pequeno-burguesa sobre o caso Venezuela, mas antes de comentá-las, é preciso dizer algumas coisas mais.

Na Venezuela, independentemente de discursos universitários ou do que diz a imprensa imperialista, o povo defende o governo de Nicolás Maduro, o povo e suas organizações odeiam e combatem a oposição, e eles repudiam os chefes da operação golpista, o imperialismo norte-americano.

Dito isso, é hora de aplicar as ideias colocadas acima, a esquerda pequeno-burguesa brasileira apresenta as mais aberrantes posições, um setor, como o PSTU e a CST (corrente do PSOL), trajaram sua política nos mais belos robes, com o vocabulário dos revolucionários de Outubro, falam em rebelião popular, defesa dos explorados, mas o que propõem fazer para resolver o problema da Venezuela? “Fora Maduro!” dizem eles.

Outro setor como os deputados Marcelo Freixo e Jean Willys dizem defender a democracia, ser contra a autocracia e a opressão independente do lado do plenário que ocupa o governo, são palavras belas, nem tão belas assim, mas são apenas palavras, como curso de ação dizem “Fora Maduro!”.

O presidente Donald Trump também tem sua política e suas razões, na última sexta-feira ele declarou que está disposto fazer o que for preciso para derrubar Maduro, inclusive insinuou o uso de força militar dos EUA para isso, ele também disse “Fora Maduro!”, o mesmo “Fora” para o mesmo Maduro que Jean Willys e companhia.

Quando e se as bombas cairem na cabeça do povo da Venezuela é importante lembrar que, independentemente das justificativas, todos os que fizeram campanha pela queda do governo são culpados, afinal apenas os que estão ameaçando invadir a Venezuela podem efetivamente derrubar o governo de Maduro, a revelia do povo.

A pergunta finalmente é, quando a poeira se assentar, de que lado você quer estar do lado do Fora Maduro, ou do lado dos que lutam contra o golpismo na América Latina, dos que se opuseram na prática ao imperialismo, boa parte da esquerda já fez sua escolha, não se pode permitir que se esqueçam dela.

artigo Anterior

Extrema-direita nos EUA: sinal de alerta no Brasil

Próximo artigo

Quem é contra o golpe no Brasil, é contra o golpe na Venezuela. Assistam na Análise Política da Semana

Leia mais

Deixe uma resposta