Pernambuco: Judiciário rasga voto do povo

Compartilhar:

No último dia 7, a juíza eleitoral da 63ª zona eleitoral, Tayná Lima Prado Santana, determinou a cassação do mandato de três vereadores: Francisco de Assis Nunes (PR), Júlio Cesar Machado (PSC) e Manoel Galdino Cavalcante (PPS). Todos esses, eleitos na cidade de Inajá – sertão pernambucano.

Com a decisão da juíza de primeira instância, os vereadores deverão devolver seus mandatos e pagar multas que vão de R$ 25 mil a R$ 40 mil. Além disso, os vereadores ficarão inelegíveis por oito anos.

Segundo a juíza, os vereadores tiveram seus mandatos cassados por suspeita de compra de votos e abuso de poder econômico. Contudo, essa não é a verdadeira causa da condenação. A compra de votos sempre houve no Brasil – especialmente em cidades como Inajá, que distam quase 400 km da capital pernambucana e que possuem menos de 300 habitantes.

O fato de que uma juíza cassou o mandato de três vereadores em Inajá é somente mais um sintoma do novo regime político – um regime em que as aparências democráticas estão em estado de completa dissolução. O único Poder que não passa, em nenhum momento, por uma eleição está se sobrepondo, de maneira absoluta e descarada, àqueles referendados pelo voto popular.

artigo Anterior

Dois anos da chacina na grande São Paulo

Próximo artigo

Abaixo a perseguição aos professores e sindicalistas da IFAL

Leia mais

Deixe uma resposta