Desmonte na área de tecnologia do BB para terceirização total

Compartilhar:

A Ditec – Departamento de Tecnologia do Banco do Brasil, já deu início ao seu desmonte no Estado de São Paulo – com vem fazendo em todo o País – com o afastamento e transferências, compulsórios, de funcionários. Com isso pretende aprofundar a política do governo golpista de Michel Temer que visa terceirizar todo esse setor do banco.

Conforme neste Diário, no último dia 9, a direção golpista do Banco do Brasil contratou uma auditoria externa, que está sendo realizada pela empresa privada Falconi – Assessoria. Esta auditoria está sendo executada no momento em que exerce a função de vice-presidente da Ditec, Gustavo Vale, que já teve essa mesma função na famigerada era de FHC (PSDB), governo que privatizou quase todo o patrimônio do povo brasileiro a preço de banana, como nos casos da Vale do Rio Doce, CSN, as Teles, Energia, Água, etc., que teve como consequência centenas de milhares de trabalhadores jogados no olho da rua. Só não privatizou o BB porque esbarrou na força de mobilização da categoria bancária que impediu a sua realização.

A auditoria visa, com a nova lei de terceirizações e da aprovação da “reforma” trabalhista, no reacionário Congresso Nacional, entregar para as empresas privadas toda a área de tecnologia; 50% do setor já foi terceirizado.

Mais uma evidências de que este processo está em amplo desenvolvimento é o caso da Ditec de São Paulo onde os seus funcionários estão sendo pressionados a se mudarem para Brasília sob pena de perderem as suas funções, além disso há denúncias de que setores da tecnologia serão extintos naquele estado.

O governo golpista vem aprofndando os ataques aos trabalhadores para satisfazer o apetite de meia dúzia de capitalistas nacionais e internacionais, os bancários dos banco públicos são alvos desses ataques, parte do programa de privatização. Na Caixa Econômica Federal passa pelo mesmo processo, a direção do banco editou recentemente um normativo para a contratação de trabalhadores temporários eliminando o concurso o público.

Tanto do BB quanto a CEF passam por um processo de reestruturação que já ocasionou dezenas de milhares de demissões, descomissionamentos, rebaixamento salarial e fechamento de centenas de agências em todo o país.

É necessário organizar uma grande mobilização para barrar todas as medidas da direita golpista a frente dos bancos públicos, a única forma de combatê-las e derrotá-las é a luta contra o golpe e pela a anulação de todas as suas medidas.

artigo Anterior

Meia dúzia de “sindicalistas” elegem “representantes” de milhares de professores

Próximo artigo

Escola de Marília fechará noturno

Leia mais

Deixe uma resposta