O crime de Aecio a lei encobre, o de Lula a lei “descobre”

Compartilhar:

Como parte do cerco ao ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, da parte do judiciário golpista, o Ministério Público Federal (MPF), por meio da sua “atuante”  Câmara de Combate à Corrupção desarquivou inquérito contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no processo do mensalão.

A tentativa é requentar as acusações com base em um depoimento dado no final de 2012 pelo publicitário Marcos Valério, depois do mesmo ter sido condenado no processo. Para tentar se livrar das acusações e fazer o jogo da direita interessada em incriminar Lula e o PT, Valério acusou que R$ 7 milhões da empresa Portugal Telecom foram usados para pagar dívidas eleitorais do PT. “A Procuradoria da República do Distrito Federal (PRDF) e a Polícia Federal (PF) investigaram a afirmação, mas concluíram que não era possível provar que elas eram verdadeiras” (Jornal Opção, 10⁄08⁄2017).

Mostrando o caráter reacionário e persecutório da medida, a 10ª Vara Federal de Brasília contestou o arquivamento com base em delações incentivas e super premiadas realizadas no âmbito da Operação Lava Jato, ou seja, buscando usar novas acusações fabricadas contra Lula e o PT em um processo já arquivado.

A manobra ocorre, no exato momento em que o ex-presidenciável e presidente licenciado do PSDB, senador Aécio Neves acabar de se liberado em mais de um dos processos de que foi alvo, da mesma forma que ocorreu na Comissão de Ética do Senado, e quando o próprio presidente golpista, Michel Temer (PMDB) foi liberado pela “super ética”  Câmara dos Deputados e seus “super honestos” parlamentares.

Como afirma, o hino “A Internacional”, cantada pelos militantes de esquerda, “o crime do rico a Lei encobre, o Estado esmaga o oprimido, não ha direitos para o pobre, ao rico tudo é permitido”.

Em meio a uma profunda crise e quando pisoteia conquistas de décadas dos trabalhadores e de todo o povo brasileiro, os golpistas mostram a clara decisão de intensificar os ataques contra Lula,  PT e toda a esquerda para colocar os explorados e suas organizações de luta na defensiva e impor uma ditadura ainda mais profunda, na defesa dos interesses do grande capital.

Furnas, “privataria”, trensalão, mala de dinheiro, helicóptero com meia tonelada de cocaína, aeroporto privado com dinheiro público…. todo tipo de bandalheira, fartamente comprovada, em Aécio e nos tucanos, não pega nada, tudo devidamente encoberto.

O “combate “a corrupção”, a operação lava jato etc. se mostram cada dia mais como uma farsa completa cm claro objetivos golpistas contra os adversários do regime nascido do golpe de estado.

Em tais condições a luta contra a condenação e a prisão de Lula, devem constituir um aspecto central de uma ampla campanha de agitação e propaganda, principalmente entre os trabalhadores, no seus locais de trabalho e moradia e, entre a juventude, nas escolas universidades.

Como parte desta luta, é preciso organizar Caravanas de todo o País para Curitiba, no próximo dia 13 de setembro, quando Lula está intimado a depor, diante do juizeco golpista, Sérgio Moro, o “Mussolini de Maringá”, que já condenou o ex-presidente a nove anos e meio de prisão e está armando outras condenações para servir aos interesses dos donos do golpe.

artigo Anterior

Banco do Brasil: sucatear para privatizar

Próximo artigo

A “reforma trabalhista” não ataca só os direitos, mas também as organizações dos trabalhadores

Leia mais

Deixe uma resposta