Força Aérea norte-americana diz estar pronta para lutar esta noite

Compartilhar:

Em artigo do portal Sputnik do dia 9 de agosto, atualizado depois das 23h, a Força Aérea norte-americana pressionou o presidente Donald Trump com o lema da frota do Pacífico (PACAF) na sigla em inglês, dizendo que pode atacar a Coréia do Norte a qualquer momento

Kim Jong Un disse na segunda-feira, dia 8 de agosto, que conseguiu reduzir uma ogiva nuclear para colocar dentro de um míssil intercontinental. O alvo primário seria a base norte-americana na ilha de Guam, que foi controlada pela Espanha até 1898, passando para o domínio dos Estados Unidos após o Tratado de Paris na sequência da Guerra Hispano-Americana.

Com o apoio do Japão e da Coréia do Sul (que agora também possui uma grande base militar norte-americana, mesmo com a desaprovação da população) os Estados Unidos ameaçam cada vez mais a autodeterminação do povo da Coréia do Norte, um dos únicos países que resiste, pelo seu projeto de desenvolvimento nuclear, aos ataques norte-americanos.

Mesmo com os embargos feitos à Coréia do Norte, o país segue firme em sua definição de se opor ao imperialismo. Países mais fortes como Rússia, China e Irã formam um bloco contra o país que tem o maior contigente de militares do mundo e que cerca por terra, mar e ar o pequeno país asiático.

No site Sputnik:

“1.200.000 efetivos à disposição do exército norte-coreano não reflete o potencial completo das tropas terrestres de Kim Jong-un.

A agência Yonhap,  citando suas próprias fontes, informou que a Coreia do Norte conta com outros 600.000 reservistas bem treinados. Além disso, há cerca de 6 milhões de pessoas que fazem parte das forças paramilitares chamadas Guardas Vermelhos de operários e camponeses, que, muitas vezes, participam dos exercícios.

Isso quer dizer que existem cerca de 8 milhões de pessoas na Coreia do Norte que estão bem treinadas e estão altamente motivadas e prontas para agir em qualquer momento.Esse treinamento é necessário em todos os países para manter  autodeterminação e soberania: toda a população com treinamento militar. Isso ocorre na Suíça também.”

Fato importante: já ficou provado que, apesar da Coréia do Sul e, claro, Estados Unidos terem armamentos muito mais desenvolvidos, eles perdem a eficácia em um confronto direto nas cidades.

 

 

artigo Anterior

Direção golpista dos Correios quer empurrar “negociação” diretamente para o TST

Próximo artigo

Imprensa defende “carta branca” permanente para militares

Leia mais

Deixe uma resposta