Professores do DF se reúnem para definir calendário e discutir a luta contra o golpe

Compartilhar:

Na noite de 7 de agosto, segunda-feira, ocorreu na sede do Sinpro-DF mais uma reunião de delegados sindicais de professores e orientadores do Distrito Federal.

A própria reunião refletia o refluxo dos trabalhadores que enquanto são atacados violentamente não encontram na maioria das suas direções uma orientação ofensiva contra o golpe de Estado se perdendo mais uma vez na conciliação com os golpistas como os da Força Sindical que boicotaram a ultima greve geral por um lado e por outro por meio das reivindicações vazias de conteúdo como o “Fora Temer” e “Diretas já”, defendidas inclusive pela golpista Rede Globo, por FHC entre outros.

Tanto os professores como toda a classe trabalhadora precisará daqui por diante reerguer-se na luta contra o golpe e suas medidas e para levar adiante esse propósito é necessário a organização de comitês de luta por local de trabalho para ampliar a campanha pela anulação do impeachment e reestabelecer o regime golpeado restituindo os mais de 54 milhões de votos.

Nesse sentido, a luta local contra os ataques do golpista Rollemberg, que agora quer parcelar os salários dos servidores, passa pela compreensão da necessidade de derrotar o golpe acima de tudo pois é sua existência o fator decisivo para que os governadores golpistas nadem de braçada contra toda a população como ocorre também com Sartori no Rio Grande Sul, Richa no Paraná e como o mais almofadinha de todos, João Doria em SP, que já fechou mais de 500 salas de aula em SP.

Para enfrentar os golpistas locais e nacionais Educadores em Luta/PCO defendeu junto aos delegados sindicais a Ação Popular pela anulação do impeachment, distribuindo o abaixo assinado para dezenas de representantes de escolas do DF, a criação dos comitês de professores contra o golpe, uma nova greve geral dessa vez por 48 horas, fim das alianças com as centrais golpistas como a Força Sindical e uma assembleia geral dos servidores para encaminhar uma agenda de mobilizações para o próximo semestre. Essas e outras questões foram debatidas e serão encaminhadas para o debate nas plenárias regionais que contarão como o seguinte cronograma:

14/09    Regional N. Band / Candag./Riacho I e II – CEM NB 01

Regional Ceilândia – CEM 02

19/09    Regional Plano Piloto – Sede

20/09    Paranoá – CEF 01

Brazlândia – CEM 01

21/09    Planaltina – Subsede

26/09    Taguatinga – CEMAB M/T e N/Subsede

27/09    Gama – CEM 02

28/09    Samambaia – CEM 304

4/10       Recanto das Emas – CEF 301

17/10    São Sebastião – CAIC – UNESCO

19/10    Sobradinho – CEM 01 (Ginásio)

24/10    Guará – CED 01

26/10    Santa Maria – CEE 01

artigo Anterior

Juiz é condenado por corrupção depois de condenar Eike Batista

Próximo artigo

A constituinte na Venezuela

Leia mais

Deixe uma resposta