Fuvest por 170 reais: afunilamento do acesso já começa na inscrição

Compartilhar:

A Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest) publicou na terça-feira (1), o seu Manual do Candidato. O acesso à mais importante universidade da América Latina já começa com a taxa de inscrição nada popular: R$170,00. Uma taxa nada convidativa para estudantes pobres e para a classe trabalhadora; um funil que impede o acesso logo de cara.

A solicitação da isenção ou redução da taxa de inscrição só dura sete dias, um período muito curto e que pega de surpresa os que não podem arcar com os 170 reais. Há aí um intuito bem declarado de deixar bem escondido e impossibilitar o ingresso da população mais pobre.

A USP que até o ano passado sequer oferecia cotas para negros e estudantes de escola pública, é dominada pela influência de reitores indicados pelo governador golpista Geraldo Alckmin, e por um longo projeto de sucateamento no sentido de dar “razões” para sua privatização. Vale lembrar que em 2015, editoriais dos jornais O Estado de São Paulo Folha de São Paulo líderes da imprensa golpista impressa já sugeriam o pagamento de mensalidades para os estudantes.

Projetos como o Sistema de Seleção Única (Sisu) vem como tapa buraco, umas migalhas que só podem ser combatidas com a exigência de acesso universal à universidade pública por parte de estudantes, trabalhadores e de toda a população. O direito a educação pública e universal está na Constituição Federal, mas em tempos de golpe e de proliferação de golpistas, nada legislado é garantido.

Os planos dos tucanos em São Paulo de acabar com o ensino público superior, sucatear a universidade pública com cortes de bolsa, auxílio alimentação, saúde e total destruição da possibilidade de moradia estudantil já dava passos largos antes de 2015. Após a ofensiva golpista, estudar é um privilégio e não um direito. O duro ataque ao ensino público só pode ser contra atacado por ferrenhas mobilizações, demandas por auxílio, governo tripartite na universidade com maioria estudantil e por fim, o fim do vestibular e livre ingresso.

artigo Anterior

Rio de Janeiro: ex-secretário de Paes é preso com base em delações

Próximo artigo

Parque Augusta em São Paulo nas mãos do prefeito Doria

Leia mais

Deixe uma resposta