Eleger delegados de luta para o Congresso de trabalhadores da educação particular

Compartilhar:

Será realizado entre os dias  22 e 24 de setembro, o 9º Congresso da Federação dos Professores do Estado de São Paulo – Fepesp. O Congresso reunirá delegados dos 25 sindicatos integrantes da Federação, representando os professores, técnicos de ensino e auxiliares de administração escolar na rede privada do Estado de São Paulo; e ocorre em meio ao aumento do ataque dos capitalistas a educação, contra os trabalhadores, professores e funcionários das milhares de escolas e universidades privadas do país e em especial em São Paulo.

Com o golpe de Estado que derrubou a petista de Dilma Rousseff e que persegue Lula, a ganância de empresas e escolas foi a níveis estratosféricos, já que agora estão praticamente liberadas para explorar por força de lei todas as relações de trabalho promovidas pela ‘reforma’ trabalhista, através do sancionamento da lei  13.467, por Michel Temer e que entrará em vigor em novembro.

Em meio aos ataques dos golpistas à classe trabalhadora brasileira, nos últimos 50 dias os trabalhadores das escolas privadas sofreram nas mãos dos capitalistas dos grandes conglomerados educacionais como, por exemplo, a FMU (Faculdades Metropolitanas Unidas), que, no final de junho, anunciou a demissão em massa de mais de 220 professores universitários dos campus localizados na capital paulista. Na Unisantana, centenas de professores estão sem receber salários há mais de dois meses. No Sesi (Serviço Social da Indústria), ligado a Fiesp, centenas de professores foram demitidos para a implementação da Reforma trabalhista de Paulo Skaf, que demite em massa, para contratar centenas de novos professores com salários 30% menores, além de anunciar a total terceirização dos trabalhadores na alimentação escolar.

Diante disso é necessária a organização de um Congresso que promova a organização da luta dos professores e funcionários da educação. Todos os 26 sindicatos do Estado de São Paulo, vinculados à Fepesp, deverão eleger os seus delegados de acordo com proporção estabelecida no estatuto da Federação. Os delegados deverão ser eleitos em assembleia geral de seus sindicatos, realizadas em até 30 dias antes do Congresso. Ao final do encontro, será eleita a diretoria e conselho fiscal da Federação para a gestão de 2017 a 2021.

Professores e funcionários devem se mobilizem para eleger seus representantes, delegados comprometidos com a luta contra o golpe de Estado e pela defesa dos direitos e empregos dos trabalhadores em educação da rede privada, atingidos em cheio pelo golpe de Estado em nosso país acabando com os direitos trabalhistas e com a aposentadoria de milhões de trabalhadores.

artigo Anterior

Apoio à Venezuela, sem medo da imprensa, é sinal claro de amadurecimento

Próximo artigo

Direção golpista do BB reabre Comissão de Conciliação “Voluntária”

Leia mais

Deixe uma resposta