Temer não caiu… ainda

Compartilhar:

Nessa quarta-feira, dia 2, a Câmara dos Deputados votou a aceitação ou não da denúncia apresentada pela Procuradoria-geral da República contra o presidente golpista Michel Temer. Quando fechávamos esta edição, a votação ainda não havia encerrado, mas já era claro que a denúncia não seria aceita.

O procurador Rodrigo Janot apresentou denúncia contra Temer de corrupção relativa às gravações envolvendo Temer e o dono da JBS, Joesley Batista. As gravações vazadas pela rede Globo em maio marcaram a decisão dos donos do golpe de se livrar do presidente golpista. Está claro que o setor fundamental do golpe quer derrubar Temer para substitui-lo por um governo mais alinhado à política do imperialismo, um governo com predominância do PSDB-DEM.

No entanto, a própria votação revelou ao mesmo tempo a necessidade da direita pró-imperialista de derrubar Temer e dificuldade para a realização dessa política. Dificuldade porque a base do governo golpista, o chamado “centrão”, forma uma maioria de deputados com interesses regionais que são em grande medida contraditórios com a política do imperialismo e por isso se torna difícil a operação de derrotar Temer.

Necessidade justamente por conta dessas contradições que impedem a direita pró-imperialista de colocar em prática uma política ainda mais dura contra o povo. Temer, sendo obrigado a negociar com sua base, encontrou obstáculos e foi obrigado a ceder em todas as oportunidades. Assim, as reformas e os cortes que a direita exige saíram como um chute prensado.

Os donos do golpe estão decididos. Não foi agora que conseguiram, mas preparam novas ofensivas contra Temer, resta saber até que ponto os setores da direita ligados a setores da burguesia nacional conseguirão resistir.

artigo Anterior

Falência: UERJ suspendeu ano letivo de 2017

Próximo artigo

Liminar suspende aumento dos combustíveis na Paraíba

Leia mais

Deixe uma resposta