Defender Lula é defender Rafael Braga

Compartilhar:

Um determinado setor da esquerda pequeno-burguesa fez uma campanha recente de que não se deve defender Lula da prisão, mas defender a liberdade de Rafael Braga, o jovem negro que foi preso ilegalmente nos atos de 2013 e ainda está cumprindo pena em regime fechado.

A campanha envolve um meme que compara Lula a Braga, para afirmar que prisão ilegal, mesmo, é a de Braga. Ou seja, a pessoa que pode ser defendida da repressão é Rafael Braga, pois é pobre, negro e foi preso como resultado de uma arbitrariedade.

Lula seria um rico político, com dezenas de advogados, uma pessoa que dispensa qualquer defesa, qualquer manifestação pública contra sua prisão. Em últimas palavras, Lula que se vire com o sistema penal. O ex-presidente não poderia ser alvo de campanhas como a desenvolvida pelo PCO, contra a sua prisão, contra o processo etc.

Essa suposta defesa dos oprimidos é uma questão que já foi levantada antes e precisa ser denunciada novamente como sendo a mais pura demagogia pequeno-burguesa, típicas dessas organizações. É uma demagogia aberta contra, especialmente, Rafael Braga.

Primeiro, se Lula pode ser preso ilegalmente, qual seria, então, o critério para deixar alguém ser preso ilegalmente pelo sistema penal? Quem mais, para essa esquerda, pode ser preso sem provas? E eles mesmos, da esquerda? podem ser presos sem provas?

A conclusão desse argumento é: se for “político” (como a imprensa burguesa diz) a repressão está autorizada a dispensar o processo legal e instaurar o fascismo contra suas vítimas, e esse é o raciocínio da esquerda carcereira. Mas esse raciocínio não vai beneficiar Rafael Braga, muito pelo contrário.

O sistema usado para tentar prender Lula é o mesmo sistema utilizado para prender Rafael Braga, sem provas, e deixá-lo preso até o momento. Pode-se dizer que Braga foi uma das primeiras vítimas do golpe de Estado, golpe que pretende, agora, prender Lula, se utilizando basicamente dos mesmos métodos que foram utilizados contra Braga.

Lula, ao contrário de Braga, é uma liderança política e histórica dos trabalhadores brasileiros. Fundador do maior partido da esquerda, e sua prisão representa o aprofundamento da perseguição de setores já reprimidos pela justiça penal.

Os números já não nos deixam enganar. Os assassinatos no campo e na cidade, como resultado da intervenção da repressão do estado, estão fora de controle e são maiores se comparados com os mesmos períodos em anos anteriores. O golpe instigou a PM e o restante dos órgãos de repressão para agir ainda mais fora da lei.

Defender Lula é uma questão de sobrevivência. Se Lula for preso, o que aconteceu com Braga será multiplicado na casa dos milhares, e o resultado pode ser muito mais grave que a detenção, como a própria morte. Se Lula for preso, o restante da esquerda que se cuide…

Para ser coerente na defesa da liberdade de Rafael Braga, é preciso lutar contra a prisão de Lula, pela libertação de todos os presos da Lava Jato; pelo arquivamento dos processos, pela soltura de presos provisórios, anulação das penas, etc.

É também uma questão de princípio democrático, que qualquer organização de esquerda, especialmente em tempos de golpe de Estado, deveria preservar. Os órgãos de repressão do regime não devem ser reforçados ou apoiados em hipótese alguma.

artigo Anterior

Cadeias completam o serviço da PM: exterminar a população pobre e negra

Próximo artigo

Com sensação térmica em -27°C, Santa Catarina registra a madrugada mais fria do ano

Leia mais

Deixe uma resposta