Congresso Estadual do PT quer Porto Alegre Vermelha contra o golpe e a prisão de Lula

Compartilhar:

Foi realizado nos dia 14 e 15 de julho o Congresso extraordinário estadual do PT do Rio Grande do Sul. De acordo com o presidente estadual da CUT/RS, Claudir Nespolo, o Congresso que inicialmente foi convocado como a 15° Plenária Estadual do PT estadual, foi transformado em órgão de decisão maior frente ao momento político nacional onde a direita golpista, através dos setores judiciários ligados ao imperialismo e ao golpe acabaram de anunciar a condenação em primeira instância de Lula à nove anos e seis meses de prisão.

Participaram do Congresso, 222 delegados do estado e organizações do movimento popular, social e de trabalhadores. Os temas centrais do Congresso petista foram contra as reformas golpistas e a perseguição à Luiz Inácio Lula da Silva.

Entre várias lideranças petistas estava o senador Paulo Paim, que mais uma vez referendou a política de “Diretas já!”, deixando de lado a importância da luta pela anulação do impeachment de Dilma Rousself no STF (Superior Tribunal Federal), que como já criticamos aqui neste jornal é uma política que favorece os golpistas que estão no governo e controlam os aparatos eleitorais.

Outras personalidades discursaram no Congresso como o professor de Economia da Unicamp, Dari Krein que criticou a reforma trabalhista aprovada pelo senado, chamando a atenção de que o objetivo da reforma golpista é estrangular as organizações de luta dos trabalhadores, como os sindicatos e as centrais sindicais com o fim do imposto sindical.

A plenária do Congresso ratificou por unanimidade a necessidade de radicalizar o combate contra os golpistas, à exemplo das senadoras Gleisi Hoffmann (PT-PR), Lídice da Mata (PSB-BA), Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), Fátima Bezerra (PT-RN) e Regina Sousa (PT-PI), que ocuparam as mesas diretoras do senado no dia da votação do ataque aos trabalhadores, com o deputado Paulo Pimenta PT, chamando a atenção para que o exemplo das senadoras sirva de estímulo à outras ações de luta por todo o país.

Já o ex-ministro Gilberto Carvalho chamou a atenção para a necessidade do Partido dos Trabalhadores implementar a organização de uma imprensa partidária mais atuante que combata a imprensa golpista que é alicerçada em vultuosos investimentos capitalistas, chegando a dizer que os golpistas distribuem jornais impressos nos faróis. O ex-ministro finalizou colocando a importância da ampliação de webs rádios, mídias sociais e da própria TVT (Órgão televisivo do PT), sem contudo se ater a importância da imprensa escrita.

Durante o Congresso Paulo Pimenta, deputado petista ainda fez uma colocação importante no sentido da política impulsionada pelo Partido da Causa Operária, quando da realização do grandioso ato de Curitiba, que levou mais de 50 mil pessoas à capital paranaense. O deputado petista convocou toda a militância partidária a transformar Porto Alegre, na capital vermelha, por ocasião do julgamento de Lula em segunda instância, no Tribunal Regional Federal 4, impedindo a prisão de Lula, nos moldes do que o PCO chama “Na marra e na luta!”.

Apesar do erro político de manterem suas perspectivas nas “diretas já!”, o Congresso mostrou uma enorme motivação e combatividade no sentido de ampliar a luta contra o golpe, colocando milhares de pessoas nas ruas de Porto Alegre e do país, impondo uma derrota fatal aos golpistas, contra a prisão de Lula e as reformas escravagistas aprovadas pelos golpistas a mando do imperialismo.

artigo Anterior

Enquanto privatiza tudo, Doria quer diminuir gastos públicos

Próximo artigo

Ronaldo Caiado: primeiro Lula, depois toda a esquerda

Leia mais

Deixe uma resposta