Lula: a “joia da coroa” do golpe continental dado pela mídia e pelo judiciário

Compartilhar:

Já era evidente, e inclusive com diversos exemplos, que o Judiciário e a imprensa burguesa agiram de forma central e com “segundas intenções” no processo de Impeachment de Dilma Rousseff e em toda a perseguição a políticos de esquerda, destacadamente ao ex-presidente Lula.

Agora aparece uma nova revelação estarrecedora que mostra o caráter golpista desses dois atores fundamentais da burguesia e do imperialismo no Brasil, assim como a ingerência estrangeira na soberania nacional.

Reportagem que publiquei esta quarta (12) no Pravda.Ru descreve um plano internacional para derrubar governos de esquerda por toda a América Latina com a participação decisiva da imprensa burguesa e do sistema judiciário.

Trata-se do “Plano Atlanta”, explicado em um hotel da cidade homônima, nos Estados Unidos, no final de 2012. Um ex-presidente sul-americano (tudo indica que seja o uruguaio Luis Alberto Lacalle) detalhou a seus pares latino-americanos do que se tratava a conspiração: criar uma campanha de desprestígio pelos grandes meios de comunicação contra presidentes e ex-presidentes de esquerda e, a partir disso, com todo o clima gerado pela manipulação da opinião pública, acionar o Judiciário para retirar os políticos em questão do jogo eleitoral.

Manolo Pichardo, deputado da República Dominicana e importante dirigente da América Central, ex-presidente do Parlamento Centro-americano e atual líder da Conferência Permanente de Partidos Políticos da América Latina e Caribe (COPPAL), participou do encontro. Entretanto, embora convidado para o evento oficial que ocorria no hotel, estava de “gaiato” na conversa, porque suas posições políticas destoavam daquelas expressadas pelos outros participantes. Ele resolveu denunciar a trama justamente por suas convicções e as de seu partido, devido ao “dano à região, a ruptura da ordem democrática e o retrocesso em matéria da institucionalidade”, o que tornava gravíssima aquela explanação que a ele era desvelada.

Pichardo revela ainda que foi dito nominalmente quais meios de comunicação estariam presentes na conspiração golpista e citou-se veículos brasileiros, cujos nomes ele não se lembra. No entanto, não é difícil supormos quais seriam eles, visto que os principais órgãos de propaganda da imprensa nacional estão desempenhando exatamente o papel atribuído à mídia participante do Plano Atlanta.

O Judiciário também desempenha o mesmo papel que lhe era esperado na trama continental. Pichardo nos revela também que, inclusive, um juiz brasileiro foi citado como integrante do plano golpista, mas, novamente, não recorda seu nome.

A partir do que ouviu, Pichardo não tem dúvida nenhuma de que os processos que ocorrem na América Latina desde 2009, três anos antes de conhecer o Plano Atlanta, fazem parte da mesma conspiração. Os golpes em Honduras e no Paraguai foram ensaios para o que viria a seguir, com destaque especial para o Brasil: a derrubada de Dilma e a perseguição a Lula, que ele considera a “joia da coroa”, o principal alvo do plano, cuja prisão provocaria “o efeito dominó que [os golpistas] parecem buscar”.

As denúncias do dirigente político dominicano, uma fonte oficial e com credibilidade, são estarrecedoras. Confirmam e adicionam mais uma evidência às inúmeras denúncias feitas pelo PCO e outras organizações do Brasil e da América Latina, pela imprensa independente e por diversas pessoas e organismos sobre o escândalo golpista que abala o País e toda a região, com uso central da imprensa capitalista e do Judiciário a serviço dos interesses estrangeiros, do imperialismo.

Demonstra claramente que o golpe no Brasil, as investidas golpistas na Venezuela, na Bolívia e no Equador, as perseguições a Lula e a Cristina Kirchner na Argentina, e agora também ao vice-presidente do Uruguai Raúl Sendic (que denunciou estar sendo vítima desse plano), fazem parte do avanço do imperialismo contra os governos e líderes nacionalistas e de esquerda da América Latina. E para isso ele faz uso de políticos direitistas entreguistas, inclusive de ex-presidentes, da imprensa vendida e do Judiciário.

A condenação de Lula, como denuncia Pichardo, é fruto direto do golpe que se espalhou pela América Latina, na qual têm papel essencial os grandes meios de comunicação e possivelmente o juiz referido na conversa privada onde o Plano Atlanta foi exposto. A condenação de Lula também abre as portas para o “efeito dominó” que derrubará toda e qualquer peça incômoda aos interesses imperialistas no Brasil e em todo o continente.

Para saber mais sobre o “Plano Atlanta”:

http://www.listindiario.com/puntos-de-vista/2016/03/11/411275/el-plan-atlanta

http://misionpresidencial.com/i-cumbre-hemisferica-de-la-mision-presidencial-latinoamericana/

http://misionpresidencial.com/declaracion-de-atlanta/

http://www.republica.com.uy/lacalle-plan-atlanta/

http://www.lr21.com.uy/politica/1337168-luis-alberto-lacalle-plan-atlanta-reunion-sendic

https://mundo.sputniknews.com/radio_gps_internacional/201707061070550166-plan-atlanta-america-latina/

http://www.copppal.org/el-vicepresidente-de-uruguay-dice-ser-victima-del-plan-atlanta-que-ha-venido-denunciando-manolo-pichardo/

http://prensa-latina.cu/index.php?o=rn&id=98821&SEO=denuncian-en-uruguay-plan-urdido-en-ee.uu.-contra-latinoamerica

http://www.republica.com.uy/el-plan-atlanta-esta-tras-la-condena-de-lula/

https://www.efe.com/efe/brasil/brasil/copppal-diz-que-condena-o-de-lula-obedece-estrategia-setores-conservadores/50000239-3324306

artigo Anterior

Vitória de Temer expõe ainda mais a crise entre os golpistas

Próximo artigo

Choro Marginal das ruas de São Paulo no próximo Uzwela

Leia mais

Deixe uma resposta