Há um ano, tentativa de golpe de Estado na Turquia foi derrotada pela mobilização popular

Compartilhar:

Há exatamente um ano, a Turquia sofria um golpe de Estado. No dia 15 de julho de 2016, o exército turco tomou as ruas do país. As ruas de Istambul e da capital, Ankara, foram tomadas por tanques e militares. Os soldados controlaram também a rede estatal de TV, por meio desta transmitiram um comunicado a todo o país de que o governo do presidente Recep Erdogan havia sido deposto. Um toque de recolher foi imposto além da lei marcial.

O então primeiro-ministro turco,  Binali Yildirim, denunciou a ação golpista e declarou que as “medidas necessárias” seriam tomadas. Erdogan, que estava de férias, transmitiu um comunicado a todo o País pela CNN turca, chamou a população a sair às ruas contra os golpistas.

Mesquistas também chamaram o povo a sair às ruas e defender o governo turco, que é um governo islâmico. Atendendo o chamado e com a lembrança de ditaduras militares brutais na memória, o povo turco prontamente saiu às ruas. Desafiando o toque de recolher, milhares de pessoas se confrontaram com o exército, contra as forças golpistas.

Devido à enorme resistência popular, os demais setores do Exército não aderiram a ação e os golpistas foram derrotados em questão de horas. Passado o episódio, o governo turco denunciou que a ação golpista foi organizada por partidários do clérigo Fetuah Gullen, exilado nos EUA. A tentativa de golpe golpe na Turquia se somou a outras investidas golpistas planejadas pelo imperialismo em diversos países do mundo, como no Egito, Ucrânia, Paraguai, Honduras, Brasil, entre outros. Diante da crise, o imperialismo passou adotar, no último período, como estes exemplos demonstraram, uma política de organizar golpes de estado contra governos que não satisfazem seus interesses

A gigantesca reação popular na Turquia, por meio da mobilização nas ruas, no entanto, demonstrou ser possível barrar uma ofensiva golpista. O exemplo do povo turco deve ser seguido à risca no caso brasileiro. É necessário impulsionar em todos os lugares, por meio da formação dos comitês de luta, a mobilização popular contra os golpistas que tomaram o poder de assalto em nosso país.

artigo Anterior

Assista aqui à fala do PCO no Congresso da CUT-DF

Próximo artigo

Golpistas criam grupo de trabalho para reprimir indígenas e quilombolas

Leia mais

Deixe uma resposta